Política

“A data deveria ser um feriado nacional”

O secretário provincial da UNITA, em Malanje, defendeu, ontem, que o 4 de Janeiro, Dia dos Mártires da Repressão Colonial, deve ser um feriado e não apenas uma data de celebração nacional.

05/01/2021  Última atualização 08H13
Mardanês Calunga, Secretário provincial da UNITA, em Malanje © Fotografia por: DR
Mardanês Calunga, que falava por ocasião da efeméride, considera que o 4 de Janeiro de 1961 marca um momento importante da história de Angola, pois reflecte a determinação dos angolanos contra a exploração e a opressão portuguesa.
O político recordou que a data constitui um dos primeiros actos de bravura e de manifestação do nacionalismo angolano e defendeu a importância dos governantes do país reconhecerem o significado histórico do 4 de Janeiro. "A data deveria ser um feriado nacional e não apenas uma data de celebração nacional”, defendeu.

O secretário provincial da UNITA sublinhou ainda que a partir do 4 de Janeiro seguiram-se outras formas de manifestação anti-colonial. Segundo Mardanês Calunga, o 4 de Janeiro é uma data que também inspira os angolanos contra todo tipo de dominação estrangeira e neocolonialismo.

O dirigente partidário exortou a todos aqueles que viveram a repressão colonial a contarem os factos tal como aconteceram e admitiu que, por falta de base política, a data não tem a relevância que  merece.
Mardanês Calunga defendeu ainda a necessidade de os historiadores irem cada vez mais à busca de mais dados sobre os acontecimentos do massacre da Baixa de Cassanje e que contem os factos como aconteceram, para que a data não seja  vista de forma despercebida .

Francisco Curihingana e Venâncio Victor | Malanje

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política