Sociedade

“A vacinação é fundamental, mas a prevenção é melhor”

O director do Gabinete Provincial da Saúde no Huambo aconselhou, sexta-feira, as pessoas a manterem as medidas de prevenção contra a Covid-19, apesar de estar em curso a campanha de imunização.

04/04/2021  Última atualização 07H54
© Fotografia por: DR
"A vacinação é fundamental, mas a prevenção é melhor”, frisou Lucas Nhamba, em declarações ao Jornal de Angola, acrescentando que as autoridades sanitárias, apesar da campanha de vacinação, continuam a desenvolver acções de sensibilização para o cumprimento das medidas de biossegurança.
A governadora do Huambo, Lotti Nolika, realçou este facto, aquando da abertura da campanha de vacinação, afirmando que a vacina é um "complemento importante nas medidas de prevenção contra a Covid-19”, por isso, as medidas de biossegurança não deviam ser descuradas.

Até sexta-feira, 16.395 pessoas foram imunizadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na província do Huambo, de acordo com dados divulgados pelo Gabinete Provincial de Saúde.
Lucas Nhamba garantiu que o processo de vacinação tem decorrido dentro da normalidade, pelo que elogiou o grau de civismo e adesão que tem sido demonstrado pela população local. "Há uma grande consciência, por parte das pessoas, do perigo que a doença representa”, disse.

No primeiro dia da campanha, Florinda Benjamim, de 53 anos de idade, manifestou-se "feliz pela oportunidade” de ser uma das primeiras a ser vacinada contra a Covid-19, revelando que é portadora de outras doenças que a colocam no grupo de risco. "Espero que as doses da vacina cheguem para todos os cidadãos da província”, augurou.

Luís de Sousa, que já tinha sido infectado e recuperou da pandemia, destacou o ganho a realização da campanha. "Já morreram, por falta desta vacina, muitas pessoas, sobretudo aquelas do grupo e idade de risco”, lembrou.

Os municípios da Ecunha e Chinjenje são, até ao momento, os que não registaram nenhum caso positivo da doença na província. Huambo, Caála e Bailundo têm o maior número de casos de pessoas afectadas pela Covid-19. 


Apoio da ADRA
A Aliança do Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), na província do Huambo, procedeu à entrega de meios de biossegurança à população da comuna do Cuima, município da Caála. A doação é composta por produtos de higienização, pulverizadores, moto-bombas, lavatórios e motos-cisternas que serão usados para evitar a propagação da Covid-19 no seio das comunidades.

O responsável da ADRA no Município da Caála, Júnior Mussunga, disse que entrega de meios é uma acção que se enquadra no projecto de mitigação dos efeitos sócio-económico da doença.
O projecto é financiado pela organização STATARD SHARED, uma organização não-governamental da Inglaterra, num valor orçado em 200 mil dólares. Na primeira fase estão abrangidos quatro municípios da província, mormente o Huambo, Caála, Bailundo e Longonjo.

 "A ADRA é uma organização que apoia as acções do Governo. Por isso, mais uma vez, viu-se obrigada a estar ao lado do Estado para juntos mitigar os efeitos da Covid-19”, sublinhou.
Os meios doados serão distribuídos pelas escolas do ensino primário e primeiro ciclo do ensino secundário, igrejas e postos médicos sedeados naquelas circunscrições. O administrador adjunto da comuna do Cuima, Aurélio Pacheco João, que testemunhou a cerimónia, agradeceu o gesto e garantiu que tudo farão para fazer cumprir as orientações deixadas para evitar o contágio.
Miguel Ângelo | Huambo e José Castilho / Caála



Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política