Opinião

Adeus, amigo Cambire

Ontem, sexta-feira, foi a enterrar o meu amigo e colega Embaixador de Carreira Álvaro Capingana Cambire, que desempenhava as funções de Ministro Conselheiro na Embaixada de Angola no Reino de Marrocos até o seu falecimento em Rabat, a 8 de Janeiro de 2021, por doença.

23/01/2021  Última atualização 08H00
As nossas trajectórias diplomáticas cruzaram-se quando em 2011 ambos passamos a fazer parte da equipa do então Secretário de Estado para a Organização Administrativa do Ministério das Relações Exteriores (MIREX), Rui Mangueira, ele como Director de Gabinete e eu como Consultor. Desde então passamos a constituir uma equipa de trabalho inseparável, unida, dinâmica e solidária e a alimentar uma relação de amizade e de cumplicidade que se foi reforçando com o tempo e os desafios e as oportunidades que o MIREX nos ofereceu.
Quando em 2012 fui nomeado ao cargo de Director do Gabinete de Estudos e Análise, o Dr. Álvaro Cambire - como ele gostava de ser chamado - também fez parte dos quadros que deram corpo à esta estrutura recém-criada do MIREX. Durante dois anos contribuiu com a sua escrita fina e sentido analítico na elaboração de pareceres sobre temas importantes da política externa angolana.Em 2014 fomos transferidos, desta vez para a Direcção América, onde o Dr. Álvaro Cambire desenvolveu um trabalho importante, sobretudo no enquadramento e capacitação dos jovens diplomatas. 

Durante este período em que o Tráfico de Seres Humanos em Angola se tornou uma grande preocupação na agendado Executivo Angolano e passou a constituir um "irritante” nas relações com os Estados Unidos da América (EUA) em matéria de direitos humanos, ele foi um interveniente activo na definição de uma estratégia do MIREX sobre esta matéria. 

O seu conhecimento e experiência enquanto jurista – cuja formação levou dezenas de anos para concluir, mas que nem o tempo nem a idade conseguiu fazer com que ele desistisse até à vitória final – foram fundamentais na elaboração de um documento, com propostas muito concretas, que depois da sua evolução no circuito burocrático do Estado acabou por resultar no Decreto Presidencial nº 235/14 que criou uma Comissão Interministerial contra o Tráfico de Seres Humanos, coordenada pelo Ministro da Justiça e Direitos Humanos, para proporcionar protecção e assistência, a recuperação, a reabilitação e a reinserção das vítimas na sociedade.

De 2016 a 2019 trabalhamos juntos na Direcção Europa, pela última vez enquanto membros da mesma equipa. Durante estes três anos fui, mais uma vez, testemunha privilegiada do trabalho sempre diligente e profissional desenvolvido pelo Dr. Álvaro Cambire, tanto na sua paixão de sempre de capacitar e acompanhar a evolução de jovens diplomatas, quanto no apoio à elaboração e revisão de documentos, nomeadamente relacionados com várias visitas de alto nível ocorridas em 2018. Mais do que um colega, perdi um grande amigo, um confidente, um companheiro de linguagem simples, fácil, sempre actual e agradável, com quem tinha um grande prazer em discutir e partilhar ideias sobre questões pertinentes da diplomacia e dos nossos dias.

O MIREX fica mais pobre com a perda irreparável deste diplomata experiente e engajado na defesa dos interesses de Angola na arena internacional, cuja trajectória profissional vai certamente servir de inspiração às novas gerações.Adeus Embaixador Álvaro Capingana Cambire. Que a sua alma descanse em paz!

* Embaixador de Angola na Etiópia e Representante Permanente junto da União Africana e da Comissão Económica das Nações Unidas para África

Francisco José da Cruz |*

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política