Economia

Agricultura familiar absorve 150 milhões de dólares

O ministro da Agricultura e Pescas, António de Assis, procedeu ontem, em Luanda, ao lançamento do Projecto de Reforço da Resiliência dos Agricultores Familiares (SREP), avaliado em 150 milhões de dólares.

05/03/2021  Última atualização 09H03
© Fotografia por: DR
O projecto, com duração de seis anos,  vai beneficiar um milhão de pessoas e cuja incidência vai recair às províncias do Bengo, Uíge, Zaire, Cuanza-Norte, Cunene e Benguela, bem como vai abranger 218 famílias camponesas.
O programa é co-financiado pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrário (FIDA) e o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA).

António de Assis afirmou que o SREP visa apoiar a agenda de diversificação económica nacional, através de intervenção que fortaleça a transformação rural e agrícola, baseiando-se em experiências anteriores e em curso, executadas com a colaboração do FIDA.
Acresceu que se enquadram também na iniciativa, as províncias do Cuanza-Sul e Huíla, tornando-se no maior projecto de agricultura familiar no país, sob o ponto de vista de cobertura territorial e de investimento.

 
Réplicas                                          
O ministro adiantou que o mesmo, no Norte do país, vai abranger áreas onde o potencial agro-ecológico é superior ao da Região Sul, em termos de quantidade e regularidade das precipitações e cobertura vegetal.
Já para o Sul de Angola, segundo o ministro, a incidência vai para o reforço,  expansão e intervenção direccionadas para mitigação dos efeitos da seca ou inundações, criando capacidades de resiliência às alterações climáticas.

O titular da pasta da Agricultura adiantou que, com a implementação do SREP, estão previstas intervenções em estradas terciárias, sistemas de rega, mercados rurais, treinamento em extensão, assistência técnica e concessão de subsídios aos subprojectos de produção agrícola e animal.
Inclui ainda à formação de formadores das escolas de campo e apoio ao Instituto de Desenvolvimento Agrário, construção e reabilitação de escritórios, fornecimento de meios de transporte e meios de trabalho.


Emprego
Garantiu ainda que  este vai se estender à promoção das cadeias de valor agrícola e o agronegócio por meio de investimentos que estimulem actividades rurais e criação de emprego para as pessoas mais desfavorecidas.
O lançamento do projecto SREP vai garantir mais produtividade e a resiliência de 125 mil agricultores, aumentar a produtividade e o acesso ao mercado de 40 mil agregados familiares que reportam um melhor acesso às infra-estruturas hídricas, terrestres e rodoviários, maior resiliência/produtividade e acesso ao mercado de 80 mil famílias e melhorar o acesso aos alimentos.

Por sua vez, o representante do FIDA, Custódio Mucani, afirmou, na ocasião, que a instituição que dirige vai continuar a apoiar os projectos da Agricultura e Pescas, e no quadro do programa de financiamento 2030 já disponibilizou para Angola 300 milhões de dólares.
E para o alívio ao impacto da pandemia, de acordo com  Custódio Mucani, aquela instituição disponibilizou cerca de 3 milhões de dólares.
Entretanto, o director da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), Louis Antoine Souchet, avançou  que vai apoiar também projectos ligados à distribuição de água potável e outros de desenvolvimento social.  

António Eugénio

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política