Entrevista

Apaixonada pelo rádio-jornalismo

O fascínio que tem pelas ondas hertzianas é, para si própria, uma “paixão sem explicação” que lhe vem desde tenra idade. Daí que decidiu, por incentivo da família e de amigos, abraçar o jornalismo em busca da materialização do sonho de fazer rádio-jornalismo. Sua voz activa e cadenciada desperta os ouvintes da Rádio Mais no Huambo. Elsa Inaculo, é dela que se trata, diz como se estivesse a ler uma notícia de destaque: “o jornalismo é uma paixão que cresceu comigo”. A jornalista e docente universitária concedeu ao Jornal de Angola a breve entrevista que a seguir se transcreve

31/01/2021  Última atualização 12H21
Elsa Inaculo, jornalismo em busca da materialização do sonho de fazer rádio-jornalismo. © Fotografia por: Francisco Lopes |Edições Novembro
Quem é, de facto, a cidadã Elsa Inaculo?

Sou uma cidadã de simples estrato social, ligada ao mundo do  jornalismo.  Resido na cidade do Huambo, apesar de ser nascida em Luanda, no bairro Sambizanga. Sou formada em Gestão e Conservação do Meio Ambiente pela Universidade dos Açores, Portugal. Tenho uma licenciatura em Ciências da Educação pelo ISCED do Huambo. Actualmente sou radialista e chefe de Redacção da Rádio Mais.
 
O que a terá motivado a abraçar o mundo do jornalismo?

Bem, até não sei dizer. Mas é algo – digo uma paixão - que cresceu comigo. Eu era daquelas pessoas, enquanto criança, que gostava de ouvir a minha própria voz nos aparelhos que, naquela altura, se chamavam "Walkman”. E, depois, quando começaram a sair os telemóveis, eu gravava a minha voz para ouvir se era mais grossa, aguda ou grave. Acho que era um sinal da paixão pelo jornalismo.
 
Em que ano entrou na Rádio Mais?

Fui enquadrada nos quadros da Rádio Mais, na província do Huambo, em 2009.  Mas antes passei quatro anos na Rádio Ecclesia, Emissora Católica de Angola, na cidade planáltica. É na cidade do Planalto Central onde fiz a minha história no jornalismo. Abracei a profissão com 18 anos. Fui formada nesta área pela Rádio Ecclesia.

Quais são as outras tarefas que realiza na rádio?

Sou considerada, até agora, trabalhadora da Rádio Mais. Há, dentro da rádio, uma diversidade de tarefas que realizamos, em função do que a empresa solicita. Comecei a fazer informação e entretenimento e agora apresento os principais jornais da nossa cadeia informativa na província do Huambo, e não só.
 
Que dificuldades enfrentou durante este percurso?

Foram vários os problemas… desde o acesso às fontes de informação. As fontes de informação, a começar por alguns prestadores de serviços públicos, os gestores, ainda não estão completamente abertas. Esta posição tem dificultado, e de que maneira, a produtividade informativa. O público precisa saber dos projectos de desenvolvimento sócio-económico e políticos da província. O outro constrangimento, já ao nível da própria profissão, é mesmo o dinamismo do jornalista, que deve ser exigente, estar sempre disponível para qualquer missão. Mas hoje, apesar disso, não me arrependo por ter escolhido esta profissão. É um prazer estar ligada ao ramo da comunicação social, sobretudo a fazer programas de rádio.
 
Há quanto tempo está no jornalismo?

Estou há 15 anos a fazer jornalismo. Trabalho na Rádio Mais há 11 anos. Fiquei quatro anos na Rádio Ecclesia.  
 
Consegue separar a vida pessoal e profissão?

Há coisas ligadas à profissão que têm de ficar na empresa. Às de casa merecem também ficar em casa.  Mas, quanto a esta pergunta, posso resumir no seguinte: os problemas de casa não podem influenciar na profissão.
 
Já enfrentou algum conflito ou desacordo, com algum colega de trabalho, por causa de uma matéria?

Sim, em jornalismo isso acontece. Tenho, às vezes, uma opinião e o colega tem outra, principalmente quando elaboramos as pautas semanais no Conselho de Redacção. Mas tudo termina em harmonia.

PERFIL
Nome: Elsa Jamba Inaculo Marcelino
Idade: 38 anos    
Naturalidade: Luanda
Estado Civil: União de facto
Filhos: Quatro
Morada: Cidade-Baixa, Huambo
Ocupação: Jornalista e docente universitária
Formação: Gestão e Conservação do Meio Ambiente
Sente-se realizada?: "Não, tenho ainda muitas metas para alcançar na vida”
Tem carro próprio: Sim
Casa: Tenho
Vício: Trabalhar, trabalhar…
Gostos: Leitura
Comida: Churrasco com batatas fritas e legumes
Boa companhia: Estar com a família
Bebida: Água e sumos, de preferência naturais
Sonho: Crescer cada vez mais, para atingir outros patamares

Justino Victorino | Huambo

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política