Economia

Auto-regulação garante isenção do jornalismo

Isaque Lourenço

Jornalista

O Executivo angolano promove o processo de auto-regulação, como mecanismo de garantia de isenção e independência no exercício do jornalismo, segundo fez saber, nesta quinta-feira (29), em Luanda, o director Nacional de Informação do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

29/04/2021  Última atualização 19H25
© Fotografia por: DR
 António de Sousa Simbo discursou, em representação do ministro Manuel Homem, na abertura da Conferência sobre a Liberdade de Imprensa e o Jornalismo Económico, uma iniciativa da Associação de Jornalistas Económicos (AJECO), tendo afirmado que os processos em curso resultaram, de igual modo, na  criação de condições para a instalação da Comissão da Carteira e Ética, além de esforços para o aumento da capacidade institucional da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA).
 
O responsável realçou, nisso tudo, o facto de ter sido criada e estar já em funcionamento a Comissão da Carteira e Ética, representada por membros das diversas associações técnico-profissionais da classe jornalística, considerando-o, em si, um grande ganho e avanço.

 "Isso mostra que estamos todos conscientes do esforço grande que tem sido evidenciado pelos jornalistas nos mais variados pontos do país. Outros passos na matéria de posicionamento dos órgãos reguladores e fiscalizadores da Comunicação Social hão de vir”, disse.

 Para António de Sousa, as diversas organizações não-governamentais a nível internacional afirmam que a entrada em funções do Presidente João Lourenço, em Setembro de 2017, melhorou a situação da Liberdade de Imprensa no país.

 Com isso, esclarece, o maior desafio está na extensão do sinal de rádio e de televisão em todo o território nacional, de acordo com as metas do Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia