Economia

Banca é desafiada a investir no petróleo

A banca e empresas nacionais de outros sectores devem investir no processo de licitações de blocos petrolíferos, como forma de se elevar o capital disponível na economia nacional, declarou a porta-voz da 1ª Conferência de Conteúdo Local Angola-2020, ao enumerar as recomendações do encontro.

21/11/2020  Última atualização 21H08
Investimento nacional retém receitas petrolíferas no país © Fotografia por: DR
Helga Silva declarou que, ao apontarem para essa direcção, os participantes à conferência, realizada na quinta e sexta-feira pela Petroangola, projectam que, nos próximos anos, investidores angolanos de outros sectores apliquem capitais na indústria petrolífera, até que se atinja um número superior a 100 empresas com operações neste domínio.

A fonte lembrou, citando os participantes, que as licitações nos blocos petrolíferos em Angola  são feitas por operadores internacionais como a Total, Chevron, BP e outros, sendo necessário "maior investimento local, para que as receitas, ao invés de serem levadas para o exterior, fiquem em Angola”.

Helga Silva notou, também, que Angola não tem nenhum banco a investir no sector petrolífero, pelo que a conferência serviu para incentivar os operadores deste sector a "entrarem em força no negócio” e tornarem-se investidores nos hidrocarbonetos.

Para reforçar a ideia, foi promovido um painel sobre "O papel da banca no sector petrolífero”, que serviu para incentivar os bancos a investirem mais na exploração do petróleo, auxiliar a troca de ideias entre os empresários, bem como sobre a capacitação técnica nacional para melhorar os recursos humanos.

Segundo a fonte, os conferencistas defendem que muitas peças e sobressalentes usados na indústria petrolífera sejam fabricados em Angola, uma oportunidade que pode ser aproveitada por investidores nacionais.
A conferência contou com 50 participantes presenciais e 300 virtuais, 25 prelecções e 10 exibições, destacando-se entre eles profissionais da indústria de petróleo e gás de Angola e do estrangeiro. A segunda conferência tem lugar nos dias 23 e 24 de Setembro de 2021.

António Eugénio

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política