Política

Cabinda vai ter melhoria no sistema de telefonia

Joaquim Suami | Cabinda

Jornalista

A interferência do sinal das telecomunicações do Congo Brazzaville e da República Democrática do Congo (RDC) com a província de Cabinda vai ser resolvida, ainda este ano, com o aumento da capacidade de funcionamento dos equipamentos das estruturas de fibras ópticas do Massabi e Yema.

08/05/2021  Última atualização 06H05
Ministro inaugura hoje estrutura do cabo de fibra óptica do Yema © Fotografia por: José Soares | Edições Novembro | Cabinda
A garantia foi feita, ontem, em Cabinda, pelo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, no final de uma visita de constatação à estrutura de fibra óptica da comuna de Massabi, município de Cacongo. Realçou que, com esta decisão, o objectivo é o de inibir a propagação dos serviços das operadoras daqueles dois países.

O ministro trabalha em Cabinda para avaliar o grau de funcionamento da empresa local da Angola Telecom, do Centro de Produção da TPA, das rádios Cabinda e Comercial, Centro Editorial da Edições Novembro e da Agência de Notícias Angop. Manuel Homem, que está igualmente em Cabinda para constatar as infra-estruturas para a instalação da Rádio Mais, garantiu que a estratégia do sector é melhorar o sistema de comunicação da província via fibra óptica para se resolver as constantes reclamações dos usuários das operadoras Unitel e Movicel.

"Aqui o problema não é aumentar o número de operadores de telefonia móvel, mas a resolução do problema passa em aumentarmos as capacidades de potência das fibras ópticas para se travar a interferência das telecomunicações do Congo Brazaville e da RDC”, referiu.

Devido a esta situação, assiste-se, em Cabinda, a uma adesão massiva dos cidadãos, quer do Congo Brazaville e RDC, quer nacionais, no uso dos serviços de operadoras de telefonia móvel dos dois países, em virtude das taxas serem muito mais baixas, em relação às que são práticas em Angola.
Para o acesso a esses serviços, basta o interessado possuir um chip e posicionar-se num dos bairros  da cidade de Cabinda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política