Coronavírus

Cabo Verde ultrapassa barreira dos 15 mil casos

As autoridades sanitárias cabo-verdianas diagnosticaram mais 49 infectados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 15.048 os casos acumulados desde 19 de Março, segundo dados divulgados ontem pelo Ministério da Saúde.

23/02/2021  Última atualização 09H14
Autoridades sanitárias cabo-verdianas © Fotografia por: DR
Em comunicado, o Ministério da Saúde referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 615 amostras desde sábado, com o concelho da Praia, capital do país, a confirmar mais 27 infectados (em 318 amostras), contando agora com 186 casos activos.
Ainda na ilha de Santiago foram confirmados casos do novo coronavírus nos concelhos de Santa Catarina (três), Santa Cruz (um) e Tarrafal (um). Na ilha de São Vicente foram confirmados 14 novos infectados (em 133 amostras), sendo actualmente outro dos principais focos da doença no arquipélago, com 58 casos activos.

Face à evolução da pandemia em São Vicente, o Governo cabo-verdiano prorrogou por 30 dias, até 18 de Março, a situação de calamidade para a ilha, a única do país nesse estado.
Foram ainda registados casos de Covid-19 nas ilhas da Boa Vista (dois) e São Nicolau (um). Nas últimas 24 horas, foram dados como recuperados da doença 40 infetados, com 144 óbitos acumulados por complicações associadas à Covid-19 e quatro por causas externas (mais um registado desde sábado).

Cabo Verde passa assim a contar com um acumulado de 15.048 casos da doença, desde 19 de Março de 2020 (quando foi diagnosticado o primeiro doente com a Covid-19 no arquipélago), distribuídos por todos os 22 municípios das nove ilhas habitadas do arquipélago, segundo os dados do Ministério da Saúde.
O arquipélago regista  358 casos activos da doença e soma 14.538 considerados recuperados, enquanto dois infectados, estrangeiros, foram transferidos para os países de origem.


    Aeroportos com menos 85% dos passageiros 

Os aeroportos cabo-verdianos movimentaram menos de 40 mil passageiros em Janeiro, uma quebra de 85% face ao mesmo mês de 2020, antes da pandemia de Covid-19 afectar o tráfego aéreo, segundo dados oficiais. De acordo com um boletim de tráfego da empresa pública Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), citado pela Lusa, os aeroportos de Cabo Verde receberam no mês de Janeiro deste ano um total de 831 aeronaves (-75% face a Janeiro de 2020) em voos internacionais e domésticos.

Já o número de passageiros em embarques, desembarques e trânsito foi de 18.805 em voos domésticos e 19.546 em voos internacionais, totalizando desta forma 38.351 passageiros, contra os 260 mil em Janeiro de 2020 (-85%).
A economia de Cabo Verde depende essencialmente do Turismo, com um peso directo de cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) e um recorde de 819 mil turistas em 2019. O mês de Janeiro é considerado como de época alta na procura turística por Cabo Verde.  
Contudo, desde finais de Março que o arquipélago praticamente não tem actividade turística, face aos condicionalismos impostos por vários países, para travar a transmissão da pandemia de Covid-19, e com o Governo a estimar a duplicação da taxa de de-semprego até Dezembro, para quase 20%.

O Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, a mais turística de Cabo Verde e que tem registado um movimento anual acima de um milhão de passageiros, contou em Janeiro com apenas 5.548 passageiros em embarques e desembarques, o que representa uma quebra de 95% face ao primeiro mês de 2020.
O aeroporto da capital, na Praia, movimentou em Janeiro um total de 22.463 passageiros, em voos internacionais e domésticos, uma quebra de 58% face ao mesmo mês de 2020.

Cabo Verde tem quatro aeroportos internacionais, nas ilhas de Santiago, do Sal, da Boa Vista e de São Vicente, e três aeródromos, nas ilhas de São Nicolau, Maio e Fogo, todos operados pela ASA.
Globalmente, os aeroportos cabo-verdianos movimentaram quase 776.000 passageiros em 2020, perdendo praticamente dois milhões de passageiros no espaço de um ano (-72%), devido à pandemia, segundo dados anteriores da ASA.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política