Desporto

Capim engole relva do Estádio do Chiazi

Após recuperação em Março, do ano passado, pelo Governo da Província de Cabinda, em parceria com o Ministério da Juventude e Desportos, o capim volta a invadir a relva do Estádio do Chiazi, onde se previa albergar jogos do Campeonato Nacional de Futebol (Girabola), provincial e internacionais.

06/04/2021  Última atualização 11H23
Didier Drogba, Yaya Touré e outros craques da selecção ivoiriense desfilaram nesse recinto © Fotografia por: José Soares | Edições Novembro
À entrada do recinto é visível o matagal a cobrir toda a área externa. No interior, o capim invadiu por completo a zona de jogos e a pista de atletismo, tornando os referidos  espaços numa zona apropriada para o habitat animal.      
Construído em 2009, por uma empresa chinesa, a obra  custou aos cofres do Estado, o equivalente a 85 milhões de dólares e degrada-se a cada dia. Além do capim, a infra-estrutura apresenta fissuras, infiltrações e degradação em vários compartimentos.

Os portões de acesso ao estádio também estão cobertos de capim, impedindo a entrada de pessoas, à semelhança do campo adjacente e das balizas e os balneários encontram-se inoperantes. A equipa de reportagem do Jornal de Angola soube do secretário provincial da Juventude e Desportos, José Cumbo, via telefónica,  que "já temos orientações para a limpeza, de modo a melhorar a imagem do estádio”. 

Com capacidade para 20 mil espectadores, o Chiazi possui zona VIP, com 323 lugares, 31 camarotes, com 604 cadeiras, um posto policial, sala de conferências, área de imprensa, 128 lugares para pessoas com deficiência física, quatro balneários para jogadores, duas salas de controlo anti-doping, 18 salas de primeiros-socorros, 23 lojas restaurantes, sete elevadores e outros espaços.  

O Chiazi faz parte de um conjunto de quatro estádios construídos, em 2009, pelo governo central, e albergaram os jogos da 27ª edição do Campeonato Africano de Futebol, CAN-2010, como o 11 de No-vembro, em Luanda, o Om-baka, em Benguela, e Tundavala, na Huíla.


 Dirigentes lamentam a situação 

O presidente da Associação Provincial de Futebol (APF), José do Nascimento, lamentou o estado de abandono em que se encontra o Estádio do Chiazi. Segundo o responsável da APF, o estado crítico da infra-estrutura é responsabilidade do órgão reitor da modalidade.

"O estádio devia acolher jogos do Girabola ou competições locais. Infelizmente a realidade é outra. Dos quatro recintos construídos no âmbito do CAN, o Chiazi é o único inutilizado. O 11 de Novembro, Tundavala e Ombaka acolhem partidas com regularidade. Pedimos às autoridades competentes a darem solução ao problema”, disse. 

O secretário-geral do Brilhante do Simulambuco, José António Faria, defendeu: "O Ministério da Juventude e Desportos deve encontrar as melhores políticas para inverter o quadro. A infra-estrutura custou milhões de dólares aos cofres do Estado e  não deve continuar nestas condições ”.
Por sua vez, o director Desportivo do Atlético Sport Clube do Cabassango, Manuel Capita, mostrou-se desapontado e  pede intervenção das autoridades competentes. 

"No ano passado, a Secretaria Provincial da Juventude e Desportos fez alguns trabalhos de recuperação da relva. Infelizmente, depois de um ano, o estádio continua abandonado. É de lamentar a situação, o capim continua a invadir o campo”, desabafou.

Joaquim Suami | Cabinda

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política