Política

Centro de formação nasce em Moçâmedes

Um centro de formação profissional, com capacidade para 200 formandos de cursos técnico-profissional, será erguido no município de Moçâmedes, província do Namibe, para atender à procura de jovens.

20/11/2020  Última atualização 11H55
© Fotografia por: Angop
O lançamento da primeira pedra para a construção da infra-estrutura foi feita, ontem, pela ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias. Segundo a Angop, a obra, orçada em 5,5 milhões dólares, será construída num prazo de 18 meses. O centro contará com diversos compartimentos, entre as quais salas para os cursos de electricidade, serralharia, carpintaria e outras, em função das necessidades formativas.António Cruz, responsável da FOCUS, empresa construtora, disse que, neste momento, trabalha-se no espaço para definir as áreas de construção e, seguidamente, iniciar a obra.

Na cerimónia do lançamento da primeira pedra, a ministra Teresa Dias salientou que o projecto está enquadrado no Plano de Acção e Promoção para Empregabilidade (PAPE), para dar respostas às questões do auto emprego. Salientou que o problema da empregabilidade passa, necessariamente, pelo sistema de reforço da formação profissional, daí a razão da construção destinados a este fim."Nesta altura, a nossa expectativa é grande e auguramos que, tão logo seja feita a inauguração da infra-estrutura, os jovens desta província e das zonas vizinhas possam beneficiar, também, deste reforço, pois o nosso objectivo é ver o problema da empregabilidade resolvido”, referiu.

Segundo a ministra, a empregabilidade é um problema universal, tendo apontando a pandemia da Covid-19 como um mal que agravou a situação económica do país, com a perda de postos de trabalho.Teresa Rodrigues Dias adianta que esforços têm sido feitos pelo Executivo para a melhoria da situação, com a execução de programas como PRODESI, FACRA, PIIM e o PAPE.Técnicos para a indústriaO governador do Namibe, Acher Mangueira, frisou que o centro vai formar técnicos  especializados para atender a indústria local.

"O Namibe precisa de um centro de formação profissional para atender a indústria e o sector agro-pecuário. Vamos continuar a trabalhar, pois há mais acções a desenvolvermos e, assim, satisfazer as necessidades formativas da nossa juventude”, disse.O Centro Integrado de Formação Profissional contará com cursos técnicos que vão ser criados em função das necessidades formativas do mercado local.

No Namibe foram inscritos, desde Janeiro, no Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), 750 candidatos ao primeiro emprego. Deste número, apenas 200 foram empregados, na sua maioria jovens com formação técnico-profissional, inseridos nas empresas de construção civil.O INEFOP conta com um centro de formação profissional de construção civil no município de Moçâmedes, outro no Tômbwa, além de pavilhões de artes e ofícios nos municípios do Virei e Kamucuio e na comuna da Lucira.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política