Reportagem

Centro de referência na região sul fecha por falta de 300 mil dólares

Numa zona coberta de árvores, onde sobressaem as jaracandás, mumues, palmeiras, embondeiros e roseiras, entre outras, encontra-se o Centro de Formação Profissional Dr. Rodolphe August Bréchet, na localidade de Katala Kapupa, município de Quilengues, província da Huíla. A instituição teve de fechar as portas em 2018 por dificuldades financeiras. Para reabrir precisa do equivalente a 300 mil dólares

20/02/2021  Última atualização 20H04
© Fotografia por: DR
A ornamentação da estrutura que dá acesso ao interior do centro, afecto à Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA), feita com materiais locais, logo a entrada, desperta a atenção de qualquer visitante. O centro é uma referência na região sul do país. Já formou, desde a sua criação, mais de 450 jovens, oriundos das províncias de Benguela, Huambo, Malanje, Cunene, Cuando Cubango, Bié, Uíge, Cuanza-Sul, Luanda e Huíla.

Depois de ser formado no curso de mecânica, Ernesto Bié, 37 anos, exerceu, durante quatro anos, a profissão de motorista numa agência de viagem. Fazia o trajecto Lubango/Benguela,Benguela/Lubango, Lubango/Cunene e Lubango/ Huambo.  
O jovem identificado por João é hoje um dos mecânicos de referência da IESA na cidade do Lubango. Bastante solicitado, João gaba-se de ter passado pelo centro de formação da Katala Kapupa. Ele considera a instituição "uma das melhores escolas de mecânica da província da Huíla”.

O centro foi criado para formar jovens nas especialidades de agricultura, carpintaria, construção civil, mecânica auto e electricidade. E também proporciona lazer e sossego no meio rural.
Actualmente, informou o promotor Etienne Bréchet, filho do patrono, o Centro de Formação Profissional Dr. Rodolphe August Bréchet, por causa das dificuldades financeiras, viu-se obrigado a paralisar as actividades. Etienne Bréchet explicou que o objectivo do centro é formar jovens para poderem ajudar nas aldeias onde vivem. Outro objectivo é formar os jovens para que, quando forem a qualquer cidade do país, não se entreguem às drogas, mas tenham uma formação para sustentar as suas vidas. A formação, disse, é baseada na qualidade e não na quantidade. Mas por falta de dinheiro, as actividades estão paradas.

O também director-geral da Jembas Assistência Técnica esclareceu que o centro de formação localizado na Katala Kapupa dispõe de um internato para 50 jovens, 10 salas de aulas e oficinas. Possui também uma área agrícola para aulas práticas e não só.

 
Mergulhado em dificuldades

"Actualmente, o centro de formação tem falta de capacidade financeira para a sua sustentabilidade”, disse Etienne Bréchet, acrescentando que a Jembas construiu e sustentou o mesmo até 2016. Com a crise económica e financeira, disse, a Jembas por si só deixou de ter capacidade para o financiar Mas foi em 2018 que a situação financeira agravou-se, o que originou o seu encerramento.

Mais de um milhão e quinhentos mil dólares foram gastos  pela Jembas para operacionalizar a instituição de formação, disse Etienne Bréchet. Em 2005/2006 foi aberta uma picada  entre a localidade de Cutembo e  a escola profissional. Foram feitos furos de água e adquiridos os equipamentos em Luanda. Actualmente o centro encontra-se fechado mas a segurança das instalações e dos equipamentos é mantida pela Jembas. "Várias componentes estão a funcionar e prontas para arrancar”, garante Etienne Brechet.


Perspectivas animadoras 

Está perspectivado para breve o reinício das actividades do centro de formação da Katala Kapupa, que recebeu recentemente a visita do governador provincial da Huíla, Luís Nunes. "Depois da visita do governador, a quem apresentamos a actual situação, preocupações e necessidades, estamos animados para reiniciar as actividades. Contamos com o apoio do Governo. Recebemos a garantia do governador, que, dentro das disponibilidades financeiras do Governo, vai equacionar no que pode ajudar para reactivar as actividades. Precisamos da ajuda do Governo”, afirmou Etienne Bréchet, indicando que é necessário, para o retomar das actividades, o equivalente a 300 mil dólares.

"Com os esforços feitos neste centro e com a qualidade de ensino dado aqui, gostaria de dar continuidade à formação profissional dos jovens”, salientou. "Aqui a educação é rígida. Há muito tempo de lazer e convivência, mas dentro do respeito, moral, disciplina e trabalho”, sublinhou.


O patrono

O médico missionário Rodolphe Auguste Bréchet nasceu em ST Petersburg, aos 3 de Novembro de 1913. Estudou medicina em Genebra, Suiça, e casou com Anny Helena Allenbach, em 1941. Foi pai de quatro filhos: Anne Lise, Jeannette, Jean-Pierre e Etienne. 

Obreiro incansável, Rodolphe Bréchet foi o fundador do Hospital de Caluquembe e suas filiais e da Escola Evangélica de Enfermagem. Amigo do Povo angolano, o médico missionário lutou pela dignidade e o bem-estar dos doentes em geral e dos leprosos em particular, tendo internacionalmente ficado conhecido como leprólogo. 
Reformado em 1979, o médico ainda abriu uma obra médica na Guiné Conakry. Faleceu em Vevey, Suíça, no dia 23 de Janeiro de 1987.

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política