Opinião

Começaram a chegar as vacinas!

Os angolanos tomaram conhecimento, com satisfação, da notícia de que vacinas contra a Covid-19 começaram a chegar ao país. Terça-feira o país recebeu o primeiro lote de 624 mil doses de vacinas contra a Covid-19 AstraZeneca, produzidas na Índia, país considerado a maior farmácia do mundo.

04/03/2021  Última atualização 08H47
Angola é o primeiro país dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e o terceiro de África a receber as vacinas AstraZeneca, depois do Ghana e da Côte d 'Ivoire, no âmbito da iniciativa Covax.
África tem mais de cinquenta Estados e são ainda poucos os países africanos a receber vacinas para combater a Covid-19, por razões que se prendem com o facto de países ricos, por serem ricos, terem comprado parte considerável das vacinas produzidas no mundo e priorizado, na distribuição, as suas populações, quando a pandemia é um problema global, que requer soluções igualmente globais, para que o combate à doença seja eficiente e eficaz.

A Organização das Nações Unidas tem, pela voz do seu secretário-geral, apelado aos países industrializados, com capacidade para produzir vacinas em grande escala, para uma distribuição de vacinas por todo o mundo.
 A pandemia afecta todos os povos do mundo e não basta resolver o problema numa parte do globo. A campanha de imunização dos povos, por via das vacinas, deve ser global para que todos estejam seguros e voltem à vida normal. A pandemia gerou problemas económicos graves, tendo-se acentuado os níveis de pobreza e miséria em muitas partes do mundo.
A vacinação em massa, em todos os continentes, vai contribuir para que os programas de recuperação económica possam ser executados.

Sabe-se que muitos milhares de empresas foram à falência em todo o mundo, em virtude da pandemia da Covid-19, com famílias a atravessarem grandes dificuldades, na sequência da crise sanitária.
O início da vacinação contra a Covid-19 no nosso país é uma boa notícia e acreditamos que a vacina da AstraZeneca, autorizada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), e outras vacinas que o Estado angolano venha a adquirir vai imunizar parte considerável da nossa população durante o ano em curso.

A vacinação em massa é um passo importante no processo de eliminação da pandemia da Covid-19, apesar de haver ainda problemas relacionados com as novas variantes da doença em vários países, nomeadamente da Europa. Esperamos que a comunidade científica continue a trabalhar para enfrentar novos desafios e superar os problemas decorrentes da pandemia da Covid-19, no interesse de toda a humanidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política