Cultura

Cremilda de Lima defende promoção da literatura infantil

A criação de novos hábitos de leitura é um processo de amadurecimento que passa pela maior divulgação da literatura infantil e deve ser responsabilidade de toda a sociedade, defendeu, na sexta-feira, em Luanda, a escritora Cremilda de Lima.

05/04/2021  Última atualização 12H15
“Mank” é o líder na corrida aos prémios deste ano e traz uma produção diferente das demais © Fotografia por: DR
A professora e escritora, que foi homenageada pela Editora das Letras, na sexta-feira, Dia Internacional da Literatura Infantil, pelo contributo prestado à literatura infanto-juvenil ao longo dos anos, pediu maior atenção e incentivo a este género, para que surjam novos autores.

Durante a homenagem, ocorrida no Shopping Avenida, no Morro Bento, em Luanda, a organização realizou uma feira do livro, para impulsionar os hábitos de leitura e a compra de livros, assim como efectuou encontros de intercâmbio entre escritores e ilustradores com as comunidades.
Ao longo da feira, Cremilda de Lima esteve sempre disponível ao diálogo e para a troca de experiência com as crianças. No final, agradeceu a distinção e prometeu continuar a trabalhar em prol da literatura infantil.

A feira contou com a parceria do projecto "Poesia ao Pôr-do-sol”, coordenado pela escritora Kanguimbo Ananás. Sob o lema "As motivações de Cremilda de Lima”, o encontro ficou marcado pela presença de ex-alunos da professora, que festejou os 57 anos de carreira.


Mérito

O reconhecimento de todo o contributo dado por Cremilda de Lima, e muitos outros autores, ao engrandecimento da literatura infantil merece a atenção de toda a sociedade, por ter ajudado a moldar uma geração, defendeu, ontem, Bruna Botelho, da Editora das Letras.

Para Bruna Botelho, estas homenagens devem ser mais abrangentes e incluir muitos outros autores, alguns dos quais ainda no activo, mas em risco de caírem no esquecimento, apesar de todo o trabalho feito ao longo dos anos em prol deste género.

"As distinções devem e vão continuar. Não queremos atribuir certificado de mérito apenas a Cremilda de Lima. É preciso reconhecer todos que têm dado muito de si pela causa literária, em especial de géneros tão importantes como o infantil”, destacou.
Em relação a realização de feiras do livro, adiantou que a Editora das Letras pretende as tornar mais participativas e inclusivas, levando os livros mais ao encontro dos leitores, através de uma agenda cultural diversificada e interactiva.

Manuel Albano

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política