Sociedade

Cuanza-Norte: Sociólogo defende reassentamento de habitantes

O sociólogo Soares Caiala apelou, no Dondo, às autoridades locais, a reassentar, em zonas mais seguras, a população que vive nas margens do Rio Kwanza, face às inundações. Reconhece ser um processo oneroso para o Governo, mas, na sua opinião, vale a pena tal exercício, porque evitaria a perda de elevadas somas financeiras para acudir os sinistrados sempre que aumenta o caudal do rio.

19/01/2021  Última atualização 11H28
Soares Caiala considera que muitos populares optam por se instalar nestas zonas por questões culturais, apesar dos riscos de vida. © Fotografia por: DR
Ao falar à Angop, sobre a situação das vítimas, o sociólogo sugeriu que se preste maior atenção a estas, inclusive um estudo comportamental, pelo facto de insistirem em residir no local em referência. Soares Caiala considera que muitos populares optam por se instalar nestas zonas por questões culturais, apesar dos riscos de vida.

Na última inundação, em finais de 2020, mais de quatro mil cidadãos de várias localidades foram afectados, tendo sido acolhidos pela Administração de Cambambe, em diques de contenção construídos para prevenir enchentes nos campos agrícolas. Estão afectadas as áres de Carinda, Ngolo, Cambondo, Cassequel, Kixingango, Lola, Maculumbi, Mulende e Musseque Cariapuco.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política