Política

Defendida unificação do partido antes das eleições

O secretário provincial interino da FNLA, no Zaire, António Nelson, defendeu, ontem, em Mbanza Kongo, a unificação do partido antes da realização das eleições autárquicas e gerais no país.

13/01/2021  Última atualização 09H19
António Nelson, secretário provincial Interino da FNLA © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro
"Desejamos um partido unificado. A unificação passa pela reconciliação e unidade em torno dos objectivos do partido. Sem a unidade o partido vai continuar estagnado", disse.

O político, que falava à margem de uma marcha, realizada em homenagem aos 98 anos do nascimento do fundador do partido, Álvaro Holden Roberto, nascido a 12 de Janeiro de 1923, disse que os líderes da FNLA devem colocar de parte os interesses pessoais e olharem para os objectivos partidários.

António Nelson, que liderou a marcha, que serviu igualmente para celebrar o 12 de Janeiro de 1962, data da fundação da organização juvenil do partido, disse que, o momento actual exige a unificação dos irmãos para manter o foco nas eleições que se aproximam.
O ancião de 80 anos, fiel aos ensinamentos de Holden Roberto e Ngola Kabangu, defende a necessidade de Lucas Ngonda promover a união no seio do partido em todo o país, caso contrário a FNLA pode ficar esquecido nas próximas eleições.

"Estes que dirigem agora são pessoas que entraram depois da Independência, principalmente, Lucas Ngonda. Durante os 14 anos de Luta de Libertação Nacional, ele estava ao lado dos portugueses contra os seus irmãos, porque foi da Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE), que vigorou entre 1945 e 1969, responsável pela repressão de todas as formas de oposição ao regime político colonial vigente”, recordou.

Para António Nelson, é vergonhoso um partido histórico como a FNLA contar com apenas um deputado na Assembleia Nacional, situação que deseja ver alterada na próxima legislatura.

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política