Política

Chefe de Estado envia mensagem a Nguesso

Uma mensagem do Presidente da República, João Lourenço, foi entregue, ontem, em Brazzaville, ao homólogo do Congo, Denis Sassou Nguesso.

30/10/2020  Última atualização 08H46
Ministro das Relações Exteriores deslocou-se a © Fotografia por: Contreiras Pipa| Edições Novembro
Segundo uma nota do Ministério das Relações Exteriores, foi portador da missiva, cujo teor relaciona-se com o reforço da cooperação bilateral entre Angola e o Congo, o ministro Téte António.
A audiência, concedida pelo Presidente congolês ao chefe da diplomacia angolana, teve a duração de cerca de uma hora, tendo sido assistida pelo embaixador de Angola no Congo, Vicente Muanda.

 Segurança alimentar sustentável

O ministro das Relações Exteriores defendeu, terça-feira, em Luanda, esforços concertados, a nível multilateral, no sentido de se trabalhar num programa comum que visa garantir uma segurança alimentar e sistemas agro-alimentares sustentáveis.
Téte António, que falava na Conferência Regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) para África, recomendou melhor coordenação na disponibilização da assistência técnica, capacitação e financiamento para o efeito.

O chefe da diplomacia angolana defendeu, igualmente, o reforço do Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana, por ser "um instrumento essencial na materialização de vários projectos que oferecem oportunidades aos agricultores com pequenos investimentos”. Segundo Téte António, Angola atribui grande importância à FAO, razão pela qual pretende continuar a ter uma participação dinâmica nos trabalhos por ela desenvolvidos, com inserção de quadros nacionais naquela agência.
Destacou a necessidade de se construir e tornar resilientes os sistemas da agricultura e das pescas, num contexto de crise como o da pandemia da Covid-19, e defendeu que se combatam pragas, alterações climáticas e os conflitos que perturbam a estabilidade.

No vento, que decorreu sob lema "Promover o agro-negócio inclusivo e a integração regional para alcançar os ODS (Objectivos de Desenvolvimento Sustentável)”, o ministro das Relações Exteriores reconheceu  que agricultura, com cerca de 80 por cento da força produtiva da região austral, continua a ser a principal fonte de subsistência da maioria dos cidadãos dos países da sub-região.



Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política