Política

Recredit chama Bento Kangamba

O empresário e político Bento dos Santos "Kangamba" foi notificado, ontem, através de um anúncio nas páginas do Jornal de Angola, para comparecer nos próximos cinco dias nas instalações da Recredit - Gestão de Activos S.A.

03/11/2020  Última atualização 16H57
Empresário e político foi notificado através de um anúncio © Fotografia por: João Gomes | Edições Novembro
De acordo com o pedido urgente de comparência, Bento Kangamba e outras 13 entidades, entre singulares e colectivas, têm assuntos de seu interesse a tratar junto da Direcção de Desenvolvimento de Negócios da Recredit.

Ao que apurou o Jornal de Angola de fontes ligadas a matérias de contencioso, os pedidos de comparência são instrumentos utiliza-dos pelos bancos, como em outras instituições, para colocar em pontos comuns assuntos de interesse das partes ligados ao crédito identificado, que esteja em atraso ou em resposta a uma solicitação de revisão, renegociação ou resolução de uma das partes.

 Com o core business (negócio nuclear) de comprar dívidas, fundamentalmente crédito mal parado e fazer a sua boa cobrança junto dos mutuários, a Recredit iniciou, desde 2016, um processo de limpeza dos activos tóxicos na carteira de resultados do Banco de Poupança e Crédito (BPC).

Inicialmente estava vocacionada para a banca na sua plenitude, mas sob correcção do accionista Estado, apenas o BPC ficou na esfera desta entidade. Foi já neste papel que se anunciou a compra da dívida de 951 mil milhões de kwanzas, 80 por cento da carteira do crédito mal parado do maior banco público.


Resultado líquido

Em termos de resultados, o líquido anual de 2019 calculou-se em 105,1 mil milhões de kwanzas, 12 vezes superior aos 8,4 mil milhões de 2018. Os activos estimaram-se em 581,2 mil milhões, também acima dos anteriores 448 mil milhões de kwanzas.

O total do passivo registado é de 158,4 milhões de kwanzas, do qual uma dívida a terceiros de 11,8 milhões e 146,6 milhões junto de fornecedores.
Até 31 de Dezembro, o balanço de 2019 da Recredit registou activos fixos de mais de 1,1 mil milhões, dos quais 821,2 milhões tangíveis (facilmente convertíveis) e 295,1 milhões intangíveis. Os outros activos não correntes calcularam-se em 31,5 mil milhões, apenas no balanço de 2018.

No exercício de 2019, a entidade revelou ainda outras dívidas de terceiros no valor de 24,1 mil milhões, já bem abaixo dos 94,1 mil milhões com que fechou 2018.
O activo financeiro ao justo valor, através de outro rendimento integral, que em 2018 foi de 319 mil milhões, no balanço em referência estimou-se em 539,8 mil milhões de kwanzas.

Para isso contribuiu, de igual modo, o desempenho dos resultados cambiais, que totalizou um positivo de 154,3 mil milhões de kwanzas, também acima dos 136,3 mil milhões do exercício anterior.
A margem financeira ficou nos 32 mil milhões, também muito acima dos 21,2 mil milhões de 2018.

Isaque Lourenço

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política