Sociedade

Detectados 64 casos da variante inglesa

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anunciou, ontem, a existência de 64 casos da nova variante inglesa da Covid-19 em Luanda.

06/04/2021  Última atualização 07H33
© Fotografia por: José Cola | Edições Novembro
A governante, que falava durante uma conferência de imprensa, mostrou-se preocupada com o facto de o vínculo epidemiológico dos infectados com a estirpe ser desconhecido. "Os pacientes não são contactos de pessoas recém-chegadas de viagem e muito menos viajaram para o estrangeiro nos últimos meses”, disse, acrescentando que os casos foram detectados nos hospitais sentinela.

"Isto significa que já há circulação da estirpe inglesa em Luanda”, alertou, desmentindo as notícias que fazem referência sobre a existência de uma variante angolana. "Isso não condiz com a verdade. Apenas foi diagnosticada uma variante em Angola durante o processo de triagem e testagem, no desembarque no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro”, explicou.

Sílvia Lutucuta esclareceu que o controlo das novas estirpes em Angola tem sido feito com testes por RT-PCR, após o desembarque. Além disso, acrescentou, são também realizados testes antígenos e quarentena de dez dias. "Findo esse período, é feita uma nova testagem e, se o resultado for negativo, é emitida a alta epidemiológica”, disse.

"Uma das armas no combate à Covid-19 é a vigilância epidemiológica e laboratorial assertiva. Estamos preocupados com o aumento de casos, nos últimos dias, em Luanda, principalmente em crianças, adolescentes e jovens, que acabam por morrer”, frisou, manifestando preocupação com a constante violação do De-creto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública.
"E isto está na base do aumento de casos na última semana. Por isso, apelamos às pessoas a continuar a acatar as medidas de prevenção, para evitarmos uma segunda vaga no país”, sublinhou.


Recuperados 573 pacientes
Angola recuperou, nas últimas 24 horas, 573 pacientes da Covid-19 e registou uma morte e 86 casos positivos nas províncias de Luanda, Huíla, Benguela, Cuando Cubango e Zaire.
Os novos casos têm idades compreendidas entre 6 e 85 anos, sendo 50 do sexo masculino e 36 feminino.
Segundo a ministra da Saúde, o caso de óbito ocorreu na província de Benguela, tinha 73 anos e era um profissional de Saúde de nacionalidade cubana.

Dos 573 pacientes recuperados, 322 são de Cabinda, 180 de Benguela, 50 do Zaire, sete de Malanje, seis de Luanda, cinco do Huambo, dois do Namibe e um do Cuando Cubango, com idades compreendidas entre 3 e 58 anos.

Sílvia Lutucuta explicou que os laboratórios processaram, nas últimas 24 horas, 2.175 amostras por RT-PCR.  Com este número, o país tem um cumulativo de 22.717 casos confirmados, dos quais, 21.452 recuperados, 543 vítimas mortais e 722 activos.
Do total de casos activos, referiu, três estão em estado crítico, dez graves, 40 moderados, 28 leves e os restantes assintomáticos.


Mais 180 mil
pessoas vacinadas

Um total de 181.578 cidadãos foi vacinado contra a Covid-19, desde o dia 2 de Março, nas províncias de Benguela, Cabinda, Huambo, Huíla e Luanda, informou, ontem, a directora nacional de Saúde Pública.

Helga Freitas, que falava durante a conferência de imprensa, acrescentou que foram criados 21 postos de vacinação nas províncias acima referidas e capacitados 480 técnicos de Saúde para assegurar o processo. "Foi, também, desenvolvida uma plataforma electrónica que permite acompanhar o processo de vacinação em tempo real”, disse, anunciando o início, na próxima sexta-feira, da campanha de vacinação em mais dez províncias do país.

Helga Freitas assegurou que a segunda dose da vacina será aplicada em Maio. "Assim que terminar a vacinação aos maiores de 65 anos, o programa será alargado à população com mais de 40 anos, num universo de 6,4 milhões de pessoas”, revelou.
Edivaldo Cristóvão
Xavier António

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política