Economia

“Epungu” aposta tudo na segurança alimentar

O Grémio dos Comerciantes e Produtores de Milho de Angola (Epungu) pretende desenvolver acções que visam recuperar a segurança alimentar do país garantiu, ontem, em Luanda, o director executivo da instituição

23/02/2021  Última atualização 10H48
Director executivo do “Epungu”, Ventura Hatewa © Fotografia por: Alberto Pedro | Edições Novembro
Ventura Hatewa, eleito com maioria absoluta na VI Assembleia-Geral do "Epungu”, disse que a organização prevê, numa primeira fase, reabilitar o património mobiliário, com vista a armazenar e conservar o milho, assim como promover programas que possam incentivar o comércio, além de dinamizar a produção nacional.

 O "Epungu” vai colaborar com os organismos da Administração do Estado,  de forma a estabelecer parcerias com entidades nacionais e estrangeiras, para contribuir para o processo de diversificação da economia, por intermédio do sector Agropecuário.
Na ocasião, o presidente da Assembleia-geral, Isaac dos Anjos, informou que existe no país fazendeiros a produzirem milho em grande escala, com sistemas de irrigação que num horizonte temporal de 10 anos, poderão atingir 90 mil toneladas de milho, e com capacidade para exportar.

Ao intervir no acto de tomada de posse, o ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, defendeu  a necessidade de se apostar cada vez mais, na produção do milho, uma das principais garantias do bem-estar das famílias. Destacou que o cereal é importante e fundamental para a alimentação da população, como também para a indústria transformadora.
"O relançamento do Epungu foi um dos objectivos do sector, e é bem-vindo no actual contexto”, apontou o ministro, depois de acrescentar que são os empresários que devem dinamizar a produção, cabendo o Governo intervir para a promoção e "abrir caminhos” que poderão contribuir para que os empresários possam atingir níveis consideráveis de produção.


Instituição

O Epungu foi criado em 1992, na província do Huambo, dando continuidade ao Grémio dos Comerciantes Portadores do Milho de Angola.
Actualmente, a instituição controla 700 membros, sendo que como prioridade, irá dar início ao cadastramento e recadastramento de novos membros em todas as províncias.
Conta com um presidente  da Assembleia-geral, director executivo, presidente do Conselho Fiscal, Senado com 19 elementos, e a Direcção Regional constituída pelas províncias do Huambo, Benguela, Huíla, Bié, Cuanza-Sul, Malanje, Cu-ando Cubango e Cunene.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política