Desporto

Estrelas do futebol europeu fintam pandemia no relvado

Em seis décadas de história, o Euro, a maior cimeira futebolística de selecções da Europa, a mais prestigiada à escala planetária, depois do Mundial, disputa-se pela primeira vez em 11 cidades de diferentes países, com Portugal, detentor do título, e França, finalista derrotada em casa e campeã do mundo, em destaque entre a concorrência.

11/06/2021  Última atualização 09H58
© Fotografia por: DR
Cancelada o ano passado, face ao impacto devastador da pandemia da Covid-19, a prova mantém a designação "Euro'2020”, apesar de ser disputada em 2021, e coloca em disputa, de 11 de Junho a 11 de Julho, 24 países divididos por seis grupos de quatro equipas, que jogam no sistema de todos contra todos, a uma volta. Os dois primeiros classificados de cada série avançam para a fase seguinte, oitavos-de-final, mais os quatro melhores terceiros. 
 
A Inglaterra acolhe a competição na cidade de Londres, com o modernizado Estádio do Wembley, um dos recintos míticos do futebol mundial, palco da final, meias-finais, dois jogos dos oitavos e três da fase de grupos, no caso os da Selecção anfitriã, inserida no Grupo D. 

Escolhida em substituição de Dublin, capital da Irlanda, como cidade-sede, São Petersburgo, na Rússia, vai receber seis jogos da primeira fase, dos quais dois da dona da casa, e um dos quartos-de-final. Os estádios estão abertos ao público, com a lotação limitada a 25 por cento da capacidade.  

O Olímpico de Baku, Azerbaijão, será o centro das atenções em três jogos da fase de grupos e num dos quartos, à semelhança do Allianz Arena, em Munique, "santuário” da Alemanha, e o Olímpico de Roma, obra emblemática que parece embalar a Itália e a sua Squadra Azzurra, à conquista de um feito de monta, depois da consagração em 2006, na final do Mundial da Alemanha, que marcou a despedida dos campos de Zinedine Zidane, expulso aos 108 minutos do prolongamento, pelo argentino Horacio Elizondo, por agredir Marco Materazzi. 

O Johan Cruijff Arena em Amesterdão (Holanda), a Arena Nacional em Bucareste (Roménia), o Estádio Ferenc Puskas em Budapeste (Hungria), o Estádio Parken em Copenhaga (Dinamarca), o Hampden Park em Glasgow (Escócia) e o Estádio La Cartuja em Sevilha (Espanha), que rendeu o recinto da também cidade espanhola de Bilbao, afastada da organização do torneio, albergam três partidas da primeira fase e uma dos oitavos-de-final. 

Inicialmente previsto para 12 cidades, o "Euro‘2020” decorrerá em 11 sedes, com todos os estádios a acolherem adeptos, mas dentro das limitações impostas pela pandemia. Deste modo, a bola vai rolar em Amesterdão (Holanda), Baku (Azerbaijão), Bucareste (Roménia), Budapeste (Hungria), Copenhaga (Dinamarca), Glasgow (Escócia), Roma (Itália), São Petersburgo (Rússia), Londres (Inglaterra), Munique (Alemanha) e Sevilha (Espanha).  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto