Economia

Facilcred atribui 399 milhões de kwanzas a pequenos empreendedores em 2020

A sociedade de micro-crédito Facilcred atribuiu, no exercício económico de 2020, o montante de 399 milhões de kwanzas a 485 micro- empreendedores nacionais.

14/01/2021  Última atualização 11H40
Facilcred é a operadora que mais projectos financiou © Fotografia por: Edições Novembro
Segundo uma nota, o financiamento é feito ao abrigo da linha do Alívio Económico, gerida pelo Fundo Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA).

O documento sublinha que a Facilcred é a operadora que mais projectos financiou no âmbito da linha de crédito posta à disposição dos diferentes operadores de micro-crédito angolano. São no total 485 os micro-empresários já apoiados, ascendendo o montante disponibilizado a 399 milhões de kwanzas.

As províncias do Huambo, Luanda e Namibe são as regiões onde os projectos têm sido desenvolvidos e apoiados, em áreas de actividade como agricultura e pescas (incluindo o processamento e conservação de pescado) e reciclagem de resíduos sólidos. Para que os pequenos e micro-empresários possam aceder a esses apoios, a nota informa que é obrigatório que sejam titulares de uma conta bancária devidamente actualizada.

O Banco de Negócios Internacionais (BNI) é o parceiro da instituição  para este projecto, tendo apostado na abertura célere das contas necessárias junto dos preponentes dos projectos.
Os responsáveis mostram-se satisfeitos e empenhados em alargar o âmbito dos apoios que têm vindo a conceder e apostam no apoio de A a Z aos pequenos e micro-empresários, prestando-lhes também suporte na preparação de candidatura e na operacionalização das contas bancárias necessárias com o apoio do BNI.

Contribuir para "a descentralização da actividade produtiva em todo o país e para o bem-estar das populações, através da criação de emprego, é um dos objectivos da instituição de crédito”, sublinham.
A linha de crédito do FACRA está avaliada em 4 mil milhões de kwanzas e destina-se a financiar investimentos financeiros de longo prazo, que permitem às micro, pequenas e médias empresas e aos micro-empreendedores a concretização dos projectos e a transformação em negócios rentáveis e com impacto na sociedade, sobretudo nas comunidades onde se inserem.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política