Sociedade

Famílias recebem apoios

Um total de 108 famílias no município de Cacuaco, em Luanda, beneficiou, ontem, de kits de corte e costura, pastelaria, hamburgaria, construção civil, fogareiros, computadores, cadeiras de rodas e motorizadas no âmbito do Programa de Combate à Pobreza, uma acção promovida pela administração local.

10/06/2021  Última atualização 11H48
Muitas pessoas que viviam na indigência agora beneficiadas têm agora motivos para sorrir © Fotografia por: Edições Novembro
No acto de entrega, o vice-governador para o Sector Político e Social, Dionísio da Fonseca, disse que o programa de desenvolvimento local de Combate à Pobreza é um dos programas de bandeira da governação para o ciclo 2017/-2022 que é conduzido pelas administrações municipais e tem como finalidade reduzir a extrema pobreza ao nível das localidades.
"Os jovens que foram contemplados com os kits vão poder desenvolver as suas actividades económicas na circunscrição para o auto-sustento das suas famílias”, sustentou Dionísio da Fonseca.

O dirigente manifestou-se satisfeito com a criação de cooperativas por parte dos jovens de moto-táxi que, além da actividade geradora de renda com o serviço, vão poder ajudar a desenvolver alguns "trabalhos sociais” nas comunidades, nomeadamente na limpeza do município e no apoio das famílias que, por qualquer motivo, tenham necessidade de se locomover e não têm recursos financeiros para pagar pelo mesmo serviço.

Apelou aos jovens no sentido de fazerem o melhor uso e proveito dos bens recebidos, para poder contribuir no desenvolvimento do país, em particular do município de Cacuaco.

Considerou positivo o nível de prestação de ajuda às famílias vulneráveis, tendo em conta que de um modo geral todas as administrações municipais têm cumprido as metas programadas para o Programa de Combate à Pobreza.
O administrador municipal de Cacuaco, Auzílio Jacob, referiu que todos os meses  se tem efectuado entregas de meios para empoderar os populares no sentido de poderem sustentar as suas famílias.

"É assim que estamos a usar uma parte dos 25 milhões que recebemos mensalmente para que toda população consiga sentir o efeito deste dinheiro, tendo em conta que combater a pobreza não é distribuir cestas básicas com alimentação, e sim criar condições de rendimento das famílias, para que elas próprias possam adquirir aquilo que querem”, disse Auzílio Jacob.

Fez saber que o trabalho desenvolvido neste particular tem dado resultado positivo, uma vez que populares que se encontravam em condições de pobreza extrema, hoje, já conseguem por si só encontrar soluções financeiras por via de aplicação em funcionamento dos meios que são distribuídos. Deu a conhecer que a selecção para os beneficiários serem contemplados com os kits é feita com base em visitas que os técnicos da administração efectuam aos bairros.


Cerca de oito mil e quinhentas pessoas já beneficiaram de vários kits a nível da municipalidade, desde o ano passado até à data presente, no âmbito do Programa de Combate à Fome.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade