Sociedade

Famílias sinistradas alojadas na Centralidade de Mayé-Mayé

Adelina Inácio

Jornalista

Seis das 49 famílias desabrigadas pelas chuvas, no município de Cacuaco, em Luanda, foram, ontem, realojadas na Centralidade de Mayé - Mayé, onde receberam residências do tipo T2, entregues pelo Grupo Parlamentar do MPLA.

02/05/2021  Última atualização 08H30
Famílias passam a viver em melhores condições © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro
As chuvas que se abateram nos últimos dias sobre a cidade de Luanda desalojaram várias famílias na Funda, Boa Esperança 3 e na zona do Buraco.

 O Presidente do grupo parlamentar do MPLA, Virgílio de Fontes Pereira , disse, no acto de entrega das casas, que a acção resulta do empenho dos deputados do partido maioritário e na advocacia feita junto dos órgãos competentes do Estado, no sentido de se priorizar, no  processo de entrega de residências às populações, os cidadãos que viram as suas casas desabadas, na sequência das chuvas.

 Para o deputado, a  Administração Municipal de Cacuaco tem a responsabilidade e a competência de fazer a distribuição e entrega das residências, e o grupo parlamentar faz a advocacia por ter responsabilidade em termos de acto de fiscalização.
"Isso vai permitir-nos ter legitimidade para ouvirmos as pessoas e procurarmos encontrar soluções para ajudar os órgãos competentes na resolução dos problemas, que vão acontecendo um pouco por a toda parte na cidade de Luanda, sobretudo na sequência das chuvas”, disse.

 Virgílio de Fontes Pereira disse que o exercício de entrega de residências está a ser bem conseguido devido, também,  o empenho dos órgãos do Executivo, com destaque para o Governo da Província , Executivo central e da Administração Municipal de Cacuaco.
 Garantiu que o Grupo Parlamentar do MPLA vai continuar a trabalhar para que o processo de entrega de casa não esteja sujeito a burocracia e se possa resolver, com maior celeridade na entrega das habitações.

 No município de Viana, segundo o deputado, uma equipa do Grupo Parlamentar trabalha no sentido de proceder à entrega de casas às famílias sinistradas.
Por sua vez, o administrador de Cacuaco, Auxílio Jacob, destacou a acção do grupo parlamentar do MPLA, pela iniciativa de advogar junto do Executivo da necessidade de dar respostas imediatas a degradação social que resulta dos danos causados pelas chuvas.

 Disse que, além das vítimas das chuvas, a administração tem outros cidadãos por realojar em decorrência do buraco do Iba, da vala da cerâmica  e de outros desabamentos que aconteceram durante as chuvas.
 Em Cacuaco, as chuvas desabrigaram 49 famílias, além de outros sinistrados na Boa Esperança e no buraco do Iba.
Luciana Cayovo, que perdeu uma filha e neto, em decorrência da corrente da água das chuvas, foi a primeira beneficiária. Na nova casa espera viver com seis netos, filhos da malograda. Outros beneficiários são  Maria José, Paulina Napange, Kizimba Carlos, Pedro Mateus e Nelson Daniel.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade