Sociedade

Fuga à paternidade em Luanda

Dois mil e 416 casos de fuga à paternidade foram registados, em Luanda, no ano passado, revelou, quarta-feira, o director-geral do Instituto Nacional da Criança (INAC) e não apenas 416 como grafou, por lapso, o Jornal de Angola, no título da matéria publicada na edição de ontem.

22/01/2021  Última atualização 11H15
© Fotografia por: DR
Paulo Kalesi, que falava durante numa palestra dirigida a efectivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, disse que militares e membros de órgãos de defesa e segurança lideram a lista dos que rejeitam prestar assistência a filhos. Pelo sucedido, o Jornal de Angola  pede as  sinceras desculpas ao director-geral do Instituto Nacional da Criança (INAC), Paulo Kalesi, e aos estimados leitores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política