Opinião

19/05/2021 Última atualização 06H15
Opinião

A ética como palavra de ordem

Nos primeiros anos do século XX, Durkheim, fundador da primeira cátedra de Educação e Sociologia da Sorbonne, ao escrever para a sociedade do seu tempo, definia a educação como sendo um processo unilinear de preparação das novas gerações pelas mais antigas para o exercício de papéis sociais: “uma acção exercida pelas gerações adultas sobre as que ainda não se encontram amadurecidas para a vida social.

19/05/2021 Última atualização 06H00
Opinião

Os abusos de crianças

Tem crescido no país o número de casos de abusos de adultos contra crianças nos lares em que estas vivem.

19/05/2021 Última atualização 06H00
Opinião

Requiem para a Palestina

Há muitos anos, vi uma entrevista de um escritor palestino, de cujo nome infelizmente me esqueci, à TV Globo, na qual ele dizia que o sonho dele era ver uma Palestina como já foi no passado: um país multi-étnico, multicultural e multi-religioso. Os actuais acontecimentos na região comprovam, como se tal ainda fosse necessário, que tal sonho é, literalmente, simples licença poética.

18/05/2021 Última atualização 06H10
Opinião

“Angolano cabeça água muito”

Apercebi-me só há alguns dias, mas, parece ser que muitos já conheciam a expressão, sabiam-na há muito tempo: cidadãos de um país que vocês facilmente saberão quem são (podem deduzir), chegados a este país em massa, nos últimos vinte anos, por tudo e por nada, sempre com alguma razão acham e não temem em dizer, alto e bom som, que “angolano cabeça água muito”.

18/05/2021 Última atualização 06H30
Opinião

Charles Bukowski: o poeta maldito

No túmulo de Charles Bukowski, na cidade de San Pedro, Califórnia (EUA), após o nome do sepultado, está escrito, em letras relativamente menores, mas também maiúsulas, “DON’T TRY” (“Não Tente”, em português).

18/05/2021 Última atualização 08H15
Opinião

A Cimeira França-África

Realiza-se hoje em Paris a Cimeira França- África, numa altura em que o mundo atravessa uma grave crise económica, agravada pela pandemia da Covid-19.

17/05/2021 Última atualização 07H40
Opinião

As famílias e a crise

A crise económica, agravada pela pandemia da Covid-19, afectou as famílias em todo o mundo, em virtude da destruição de muitos milhares de postos de trabalho, o que agravou o problema da pobreza, particularmente em países subdesenvolvidos.

17/05/2021 Última atualização 06H45
Opinião

O dinheiro dos fiéis nas igrejas e a prosperidade dos pastores

Um traço comum entre as seitas é o uso da comunicação social como ferramentas de expansão e evangelização. A estratégia passa por ocupar espaços de antena em rádios e televisões locais, ou mesmo em deter a propriedade de canais de TV de sinal aberto ou pré-pago para “vender” os seus sermões, curas milagrosas e exorcismos.

17/05/2021 Última atualização 06H45
Opinião

Juventude: desafios, oportunidades e conflitos

Estamos em Maio. Para trás ficou também o Abril, para muitos de nós considerado o mês da juventude, por muito que o 14 de Abril não reúna consensos.

16/05/2021 Última atualização 08H10
Opinião

Por mais e melhor informação

A constatação do Presidente da República, há cerca de quatro anos, de que Angola conheceu um assinalável progresso no que respeita à qualidade da informação e de que há mais jornais, mais estações de rádio e mais estações de televisão continua verdadeira. Assim como a de que o debate é hoje mais plural. Mas é, igualmente, de toda justiça afirmar que é preciso fazer mais, para garantir a todo o cidadão este direito, constitucionalmente instituído, de se informar e ser informado.

16/05/2021 Última atualização 08H05
Opinião

…E o azar há-de acabar

Quando em 1964 assentei praça no exército português, precisamente no Grupo de Artilharia de Campanha, em Luanda, estava longe de imaginar que pouco mais de uma década depois, estaríamos nós, os angolanos, a festejar a independência nacional, e muito menos que aquele vastíssimo local que abarcava o quartel com todas as suas dependências, com as muitas valências que ajudaram jovens a passar da adolescência para a maioridade, a encarar a vida na aprendizagem de ofícios para iniciar o futuro, se modificasse radicalmente; e que a significativa área residencial para sargentos e oficiais casados que complementava o dito local, não fosse servir o mesmo fim.

16/05/2021 Última atualização 08H00
Opinião

Como “rectificar o tiro” ?

“Um pacto de concertação e de estabilidade, em matérias como a saúde, a educação e o combate à pobreza extrema...(...) Talvez seja esse o meu sonho”