Política

Índia quer aumentar as vacinas em Angola

Adelina Inácio

Jornalista

A Índia pretende aumentar o fornecimento de vacinas contra a Covid-19 em Angola, anunciou, ontem, em Luanda, a embaixadora daquele país, no final de um encontro com o presidente da Assembleia Nacional.

13/05/2021  Última atualização 11H00
Pratibha Parker disse que a Índia pretende estabelecer relações parlamentares com Angola © Fotografia por: Santos Garcia
Pratibha Parker, que falava à imprensa no final da audiência que lhe foi concedida por Fernando da Piedade Dias dos Santos, lembrou que, há dois meses, a Índia forneceu "muitas vacinas” para Angola e, por isso, espera poder aumentar, cada vez mais, o abastecimento de outros lotes ao país, sem avançar as quantidades.
A diplomata destacou, igualmente, o facto de muitos produtos farmacêuticos da Índia terem sido fornecidos a farmácias angolanas.
Pratibha Parker revelou, recentemente, que o Executivo indiano está disponível para apoiar os países africanos no acesso à vacina contra a Covid-19. O sector farmacêutico e da Saúde é uma das áreas de cooperação que a Índia quer intensificar com Angola.

A embaixadora da Índia disse ter abordado, igualmente, com o presidente da Assembleia Nacional assuntos relativos à cooperação entre os dois países, bem como a necessidade de serem fortalecidas cada vez mais.
Fernando da Piedade Dias dos Santos foi informado sobre o sistema parlamentar indiano. "A Índia é uma das maiores democracias do mundo, adoptamos a Constituição em 1850 e a democracia parlamentar está muito bem estabelecida na Índia”, sublinhou, adiantando que, sendo Angola um país democrático, a Índia pretende estabelecer relações parlamentares.
Quanto às relações co-merciais, a diplomata considerou-as boas. "Existem muitos comerciantes indianos aqui em Angola, mas a pandemia tem criado algumas dificuldades. Esperamos que, tão logo a situação se normalize, possamos aumentar as relações bilaterais”, disse,  garantindo o incentivo de empresários indianos para investirem em Angola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política