Regiões

Júlio Bessa apela ao combate contra a onda de vandalismo

O governador provincial do Cuando Cubango, Júlio Bessa, manifestou, ontem, preocupação com o aumento de casos de vandalismo de bens públicos, recordando que as infra-estruturas que estão a ser sabotadas “custaram muito dinheiro ao Estado”.

13/01/2021  Última atualização 14H18
Governante reiterou a pretensão do seu elenco de relançar a agricultura na província © Fotografia por: Nicolau Vasco | Edições Novembro
O governante, que falava durante a cerimónia de apresentação do novo administrador municipal do Cuchi, Joaquim  de Oliveira, disse que ficou triste ao ver no município algumas escolas, centros de saúde, redes de energia eléctrica e de água vandalizadas.

Por este facto, apelou às autoridades policiais, tradicionais e a população em geral do Cuchi para ajudarem o novo administrador e o governo da província a travarem a onda de vandalismo de bens públicos. "Para o combate cerrado destas práticas , é necessário um trabalho redobrado das autoridades tradicionais, no sentido de sensibilizar e educar as populações  como devem viver na sociedade, do outro jeito nunca atingiremos o tão almejado bem-estar nas comunidades”, defendeu.

Júlio Bessa aproveitou a ocasião para anunciar o arranque, nos próximos dias, do concurso público para a arrematação das obras dos mil e 142  projectos do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) do Cuando Cubango, avaliadas em 50 milhões de dólares, depois da revisão do programa inicial. "Vamos trabalhar para a construção de mais escolas, centros de saúde, fornecimento de água e energia eléctrica, saneamento básico, entre outros  meios  para a melhoria substancial das condições de vida dos habitantes da província”, sublinhou.

O governador recordou que será dada especial atenção  ao Programa de Combate à  Fome e a Pobreza, para que se possa suprir as necessidades imediatas das populações, sobretudo aquelas que vivem em situação de miséria e em zonas mais recônditas da região, enquanto se avança com as obras do PIIM.

"Está na hora de termos consciência que, como servidor público, não devemos trabalhar para nós mesmos, mas, sim, para servir as populações,  garantindo-lhes  o  bem-estar ”, aconselhou.

Aposta na agricultura

Júlio Bessa reafirmou que o seu elenco, no âmbito do impulsionamento do sector Agrícola, escolheu o município do Cuchi para ser o grande celeiro , "por ter boas condições climatéricas, recursos hídricos , solos aráveis em abundância e um povo tradicionalmente agricultor”. Fez saber que  duas empresas nacionais pretendem investir em projectos agrícolas de grande dimensão nas localidades do Cutato, Tchinguanja e Vissati, para a produção de milho, feijão-frade, arroz, entre outros produtos.

"Esperamos que o município do Cuchi, que irá capitanear todo o programa agrícola da província, até ao final deste ano, possa dar a alegria à população do Cuando Cubango, no sentido de se tornar num dos maiores produtores no país de feijão-frade, arroz e milho”, disse, acrescentado que o objectivo do governo da província também é implementar, em todos os municípios, pólos agrícolas comunitários, para dar resposta à carência alimentar das populações. "Com a ajuda de alguns empresários, temos estado a implementar importantes projectos no sector da Agricultura, sobretudo em Ma-vinga, Cuito Cuanavale e Cuchi”, concluiu.

Carlos Paulino | Menongue

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política