Regiões

Lançado Jornal "Angoleme" na província do Bengo

Pedro Bica| Edições Novembro

O mercado angolano passa, desde esta sexta-feira (14), a contar com mais um jornal. Trata-se do "Angoleme", publicação generalista do grupo Edições Novembro e que vai cobrir as províncias do Bengo, Cuanza-Norte e Malanje.

14/05/2021  Última atualização 17H44
© Fotografia por: Edições Novembro

O acto de lançamento coube ao presidente do Conselho de Administração da Edições Novembro, Drumond Jaime, na presença do vice-governador do Bengo e do secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas.

Na ocasião, o secretário de Estado da Comunicação Social, sublinhou que a Edições Novembro pode contar com o apoio institucional do Ministério de tutela.

Para Nuno Caldas a ideia de levar a informação próxima do cidadão vai permitir que o mesmo possa exercer os seus direitos de cidadania.

Origem do nome

O "Angoleme" surge em homenagem à célebre batalha de Angoleme Aquitambo, liderada por Ngola Kiluanji, Rei do Ndongo. É dessa estrondosa vitória de um dos mais importantes heróis da luta contra a ocupação portuguesa.

O jornal "Angoleme" é uma publicação generalista, com periodicidade quinzenal, que tem como objectivo retratar os aspectos mais marcantes da vida das populações das províncias do Bengo, Cuanza-Norte e Malanje.

A Edições Novembro entende que há ainda uma fraca cobertura em termos de meios de comunicação locais, que possam trazer ao conhecimento não só do país, mas do mundo, a realidade de uma Angola que acontece fora dos grandes centros políticos administrativos, dando voz aos protagonistas do seu movimento económico, político e social.

O PCA da Edições Novembro referiu que a presente publicação será inteiramente produzida por quadros da empresa destacados permanentemente nas províncias que ela cobre, com uma ou outra supervisão da central em Luanda, apenas quando houver necessidade.

"Teremos ainda espaços para debates e opinião sobre as mais variadas temáticas, também trazidas neste jornal por quadros nacionais ou não, residentes na região, alargando assim o modo de pensar o país para outros quadrantes regionais", disse Drumond Jaime.

Por outro lado, o "Angoleme" vai circular por todo o território nacional no seu formato físico e terá também uma edição virtual para uma maior abrangência do público-alvo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões