Economia

Mais de 200 pedidos de licença em 5 meses

Victorino Joaquim

Jornalista

A Agência Nacional de Recursos Minerais (ANRM) recebeu, de Janeiro a Maio, 205 pedidos de concessão mineira, 50 por cento dos quais para a prospecção de ouro, anunciou, ontem, em Luanda, o administrador executivo da instituição, Lucombo Pedro

11/06/2021  Última atualização 06H05
© Fotografia por: DR
O responsável, que falava durante um seminário de capacitação de jornalistas, sublinhou que os pedidos são direccionados ao Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás mediante o pagamento de uma taxa de emolumentos do equivalente a entre cinco e sete dólares, dependendo da dimensão da área e o tipo minério.


Lucombo Pedro lembrou a kista de documentos exigidos e as fases que o processo deve seguir para determinada empresa obter o licenciamento, ao qual podem habilitar-se todas empresas e indivíduos,  nacionais ou estrangeiros, com mais de 18 anos.


O número de pedidos está ligado à expectativa de vitalidade do sector mineiro que, segundo administrador executivo da ANRM João Chimuco, está presente na maior parte da "vida profissional”, contribuindo para o desenvolvimento de actividades como a rodoviária, ferroviária, construção civil, saúde, tecnologias de comunicação e outros.


Ao dissertar sobre o tema da "Importância Estratégica da Mineração na Economia Nacional”, João Chimuco citou estatísticas que indicam que, no mundo, o consumo  directo e indirecto é de 10 toneladas per capita de produtos relacionados com  minérios por ano, abrangendo 350 espécies distintas.


Jornalistas e outros profissionais de comunicação inteiraram, ontem, sobre questões do domínio dos recursos minerais, numa acção de formação promovida pela Associação de Jornalistas Económicos (AJECO). A actividade, que decorreu sob o lema: "Descodificar a  Linguagem do Sector para Melhor Comunicar”, visou melhorar a compreensão dos principais aspectos da conjuntura e facilitar a comunicação com o público.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia