Regiões

Mais de 60 mil bovinos estão a ser imunizados

Mais de 60 mil cabeças de gado bovino começaram hoje a ser vacinadas na província do Cuando Cubango, contra a febre aftosa, carbúnculo hemático, peripneumonia e dermatite nodular contagiosa, segundo o director provincial da Agricultura e Pescas.

23/02/2021  Última atualização 19H09
Falta de meios para atingir zonas de difícil acesso fazem com que nem todo o gado seja vacinado © Fotografia por: Nicolau Vasco | Edições Novembro
António Pereira disse que a província do Cuando Cubango recebeu do Ministério da Agricultura e Pescas 129 mil doses de vacina, para assegurar o programa de vacinação de gado bovino nos nove municípios.
Acrescentou que das 129 mil doses de vacina constam 70 mil contra peripneumonia contagiosa bovina, 38 mil de carbúnculo hemático, 18 mil de dermatite nodular contagiosa bovina e três mil de febre-aftosa.

A província do Cuando Cubango, referiu, conta com 336 mil cabeças de gado bovino, mas, numa primeira fase, apenas serão vacinadas um pouco mais de 60 mil, por falta de técnicos, logística e viaturas todo-o-terreno, para se atingir as zonas mais recônditas.
"Muitos criadores de gado encontram-se distante das sedes municipais e comunais e em zonas de difícil acesso, situação que tem dificultado o trabalho dos técnicos, durante as campanhas de vacinação”, disse.

A campanha de vacinação, que vai abranger todos os municípios da província do Cuando Cubango, começou nas comunas de Mawé e Mavengue, município do Calai, onde se regista um surto de febre aftosa.
Segundo António Pereira, ao longo da orla-fronteiriça foram criadas medidas de prevenção, para que não haja circulação animal, que possa fazer com que o surto de febre aftosa se propague nos municípios do Cuangar, Dirico e Rivungo.


Produção agrícola

Um total de 2.624 hectares de terras aráveis foram preparados na província do Cuando Cubango, para a presente campanha agrícola, que conta com o envolvimento de cerca de 68 mil famílias camponesas, segundo o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Pesas.
António Pereira acrescentou que previa-se produzir mais de 170 mil toneladas de produtos diversos, mas, por causa da estiagem registada em Novembro e Dezembro nos municípios de Menongue e Cuchi, houve perca de cerca de 40 por cento da produção agrícola.

Durante a presente campanha agrícola, referiu, o Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas entregou cerca de 200 toneladas de fertilizantes e 116 toneladas de sementes diversas aos agricultores.
Revelou que as culturas mais afectadas durante a estiagem foram o milho, massango, massambala e feijão macunde e que nas zonas afectadas pela estiagem o Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas distribuiu cerca de 20 toneladas de sementes diversas, para mitigar a situação que algumas famílias atravessam.

Salientou que, apesar da estiagem que se registou em Menongue e Cuchi, houve muita chuva nos municípios do Cuito Cuanavale, Cuangar, Calai, Dirico, Mavinga, Nancova e Rivungo, que afectou várias culturas, principalmente as que se encontravam em zonas baixas, ao longo dos rios.
"Temos técnicos a avaliar os estragos que as chuvas causaram às culturas e dentro de 30 dias teremos dados concretos”, disse.

Lourenço Bule| Menongue

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política