Coronavírus

Mentira de trabalhador de pizzaria abriga a confinamento na Austrália

Um homem infectado com Covid-19 mentiu ao dizer que tinha ido a uma pizzaria na qualidade de cliente e, julgando que o indivíduo teria contraído o vírus durante uma breve exposição a um surto com um potencial altamente contagioso, as autoridades do estado da Austrália do Sul (ou Austrália Meridional) decidiram decretar um confinamento total.

22/11/2020  Última atualização 15H25
A estratégia do país para combater a pandemia © Fotografia por: DR
No entanto, na verdade, o homem trabalhava na pizzaria num sistema de turnos, disse a polícia local, citada pela BBC. Ou seja, inicialmente, as autoridades pensaram que o homem pudesse ter contraído o vírus só devido a uns breves minutos na pizzaria, na qualidade de cliente, quando na realidade trabalhava lá e a exposição era assim muito maior.

"Estávamos a operar com a premissa de que essa pessoa simplesmente foi a uma pizzaria, tinha tido uma exposição muito curta ao vírus e saiu a caminhar depois de ter sido contagiado”, explicou o comissário de polícia da Austrália do Sul, Grant Stevens.
"Agora, sabemos que, afinal, este homem teve um contacto muito próximo com outra pessoa que foi diagnosticada com Covid-19. Isso mudou substancialmente a dinâmica. Se essa pessoa tivesse sido sincera com as equipas de rastreamento de contactos, não teríamos entrado num confinamento durante seis dias”, lamentou o responsável, que não identificou o homem, mas disse que trabalhava na Woodville Pizza Bar, em Adelaide.

O jornal Sydney Morning Herald avançou que o homem trabalhava com um segurança que contraiu o vírus num hotel de quarentena no centro do surto, que levou a Austrália do Sul a entrar em alerta máximo na segunda-feira.

O receio de existir uma disseminação descontrolada devido a um surto com um potencial altamente contagioso levou o estado a decretar confinamento total, mas se houvesse um conhecimento prévio dos contactos do trabalhador da pizzaria teriam sido tomadas medidas mais cirúrgicas.

O confinamento começou na quarta-feira, depois de o estado ter detectado 36 infecções, nas quais estão incluídas as primeiras transmissões locais desde Abril.
"Dizer que estou furioso é um eufemismo”, disse sexta-feira o Primeiro-Ministro Steven Marshall aos jornalistas.
"Estamos absolutamente impávidos com as acções desse indivíduo e vamos examinar com muito cuidado quais vão ser as consequências”, acrescentou.
As autoridades estaduais previam suspender o confinamento ontem, três dias antes do planeado, após terem registado apenas três novos casos na sexta-feira.

A Austrália regista cerca de 900 mortes e 28 mil casos confirmados de Covid-19 no total. A estratégia do país para combater a pandemia tem passado por confinamentos, testes generalizados e rastreamento agressivo de contactos para manter as infecções diárias perto de zero.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política