Coronavírus

Mercado do 30 abre campanha de combate à Covid-19

Manuela Mateus

O Mercado do 30, no município de Viana, em Luanda, foi ontem palco da abertura de uma campanha que visa apelar ao cumprimento das normas de biossegurança e do protocolo sanitário, que recomendam o uso correcto da máscara, a higienização das reutilizáveis e o distanciamento físico.

02/05/2021  Última atualização 07H10
Mercado do 30 em Viana © Fotografia por: Edições Novembro
A cerimónia de abertura da campanha, realizada sob o lema "Proteja a Vida/Use a Máscara”, e inserida no Plano Nacional de Prevenção e Combate à Covid-19, foi presidida pela secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher, Elsa Bárber, que disse estarem incluídos na actividade social outros mercados de Luanda e, também, paragens de táxis e de autocarros.
Elsa Bárber explicou que o Mercado do 30 foi escolhido pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher para local de abertura da campanha por receber, diariamente, um número expressivo de pessoas, entre vendedores e clientes.

A secretária de Estado acentuou que o principal objectivo da campanha é alertar a população para a necessidade da protecção à vida. "Está cada vez mais difícil as pessoas acatarem as regras nos mercados”, salientou Elsa Bárber, que alertou para o perigo que as pessoas correm quando não usam correctamente a máscara e não desinfectam as mãos com água e sabão ou com álcool em gel.
No decurso da abertura da campanha de sensibilização, foram distribuídas máscaras, algumas hospitalares e outras de pano, sendo estas as mais usadas pela maioria das pessoas em todo o país.

Mensagens, invocando a necessidade de reforço da prevenção e combate à Covid-19, foram passadas nas línguas portuguesa, kimbundu e umbundo. "A máscara tem de ser usada de forma regular e correcta, porque a doença ainda está a fazer vítimas”, recomendou Elsa Bárber, sublinhando que a presença da campanha no Mercado do 30 serve para reforçar e disseminar a informação de que "a Covid- 19 existe e é mortal”.
A direcção do maior mercado informal da província de Luanda controla 3.628 vendedores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Coronavírus