Coronavírus

Mortes no mundo chegam a 1.373.381

A nova pandemia do coronavírus já matou pelo menos 1.373.381 em todo o mundo, desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou o início da doença, no final de Dezembro, na China, segundo um balanço realizado pela agência noticiosa France-Press

22/11/2020  Última atualização 15H07
Estados Unidos à frente nos números © Fotografia por: DR
Mais de 57.583.290 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia, dos quais pelo menos 36.725.500 já são considerados curados.

O número de casos diagnosticados reflecte, no entanto, apenas uma fracção do número real de infecções, já que alguns países testam apenas os casos graves, outros priorizam o teste para rastreamento e muitos países pobres têm capacidade limitada de teste. Na passada sexta-feira, registaram-se 11.847 novas mortes e foram identificados 657.054 novos casos em todo o mundo. Os países que registaram o maior número de novas mortes são os Estados Unidos, com 1.878, França, 1.138, e o México, 719.

Os Estados Unidos são o país mais afectado por mortes e casos, com 254.424 e 11.913.945, respectivamente, segundo a Universidade Johns Hopkins, tendo 4.457.930 pessoas sido curadas. Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 168.613 mortos e 6.020.164 casos; Índia, 132.726 e 9.050.597; México, 100.823 e 1.025.969, e o Reino Unido, 54.286 e 1.473.508. Ainda entre os países mais atingidos, a Bélgica é o que lamenta o maior número de mortes em relação à população, com 132 por 100.000 habitantes, seguindo-se o Peru (108), Espanha (91) e Argentina (81).

A China, excluindo os territórios de Hong Kong e Macau, contabilizou, oficialmente, um total de 86.414 casos, 16 novos entre sexta e ontem, contando 4.634 mortes e 81.472 recuperações.

Na região da América Latina e Caraíbas, contaram-se 432.461 mortes para 12.368.175. Na Europa, registaram-se 365.406 e 16.034.727, nos Estados Unidos e Canadá 265.736 e 12.232.828, na Ásia 186.824 e 11.791.588, no Médio Oriente 72.909 e 3.081.311, e na Oceânia 941 e 30.107.

Esta contagem foi realizada com base em dados recolhidos pela France-Press junto das autoridades nacionais competentes e informações da OMS.

Devido a correcções feitas pelas autoridades ou divulgação tardia de dados, os números do aumento de 24 horas podem não corresponder exactamente aos publicados no dia anterior, adverte a AFP.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política