Política

MPLA repudia acções contra a integridade do país

O Bureau Político do Comité Central do MPLA defende que todos os angolanos devem repudiar, veementemente, todas as acções que atentam contra a soberania nacional, a integridade territorial e a dinâmica de desenvolvimento económico, político, social e cultural que Angola regista.

03/02/2021  Última atualização 22H15
© Fotografia por: DR
Numa declaração por ocasião do 60º aniversário da Data do Início da Luta Armada de Libertação Nacional, que se assinala na quinta-feira (4), o órgão de cúpula do partido no poder cita o discurso do Presidente João Lourenço no encerramento das comemorações do 64º aniversário do MPLA.

"Vamos contrapor à agenda política de subversão da ordem constitucional, gizada e a ser já executada pelo nosso adversário, com uma agenda política que fortaleça o patriotismo, o respeito ao primado da lei, o respeito pela diferença, que promova a tolerância política e a reconciliação nacional. 

Teremos como únicas armas a palavra, a verdade e a honestidade, para mobilizar os angolanos em torno da nossa causa, a do desenvolvimento económico e social de Angola”, disse, na altura, João Lourenço. 

Na declaração, o Bureau Político do MPLA exorta, igualmente, os angolanos a manifestarem o seu sentimento de reconhecimento e de orgulho patriótico aos heróis do 4 de Fevereiro de 1961, que, num contexto de luta desigual, "iniciaram a caminhada triunfal que fez brotar uma Angola soberana, una e indivisível".

O Bureau Político do MPLA deixa "uma palavra de eterna gratidão para todas as heroínas que lutaram ao lado dos homens pela dignidade de todos os angolanos". Enaltece o exemplo de coragem, bravura e determinação dos heróis nacionais, curvando-se perante a memória de todos quantos perderam a vida ou deram o melhor de si em prol de Angola livre e independente.

Considera o 4 de Fevereiro de 1961 a "viva expressão do sonho de liberdade do povo angolano", amordaçado por cinco séculos de exploração e humilhação do jugo colonial português, sendo, finalmente, realizado com a proclamação da Independência Nacional.

Para o MPLA, os ataques levados a cabo na madrugada do 4 de Fevereiro de 1961 por "destemidos nacionalistas e patriotas convictos" contra a Cadeia de São Paulo, Casa de Reclusão, Quartel da Polícia de Segurança Pública e Emissora Oficial de Angola constituíram um dos acontecimentos marcantes da História contemporânea de Angola, que traduziram a vontade de auto-determinação dos angolanos que efectivou-se com o hastear da Bandeira Nacional, a 11 de Novembro de 1975.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política