Economia

Namibe: Novas fábricas reforçam indústria

Um total de onze unidades fabris, das quais uma fábrica de corte e polimento de mármore e granito, seis padarias (uma no município do Tômbwa), uma moageira, uma fábrica de gelo, uma pastelaria e uma carpintaria entraram em funcionamento, na província do Namibe, em 2020.

22/02/2021  Última atualização 14H00
Fábrica de corte e polimento de mármore e granito © Fotografia por: Arquivo
Segundo uma nota do governo local, as fábricas reforçaram o parque industrial da província, sendo que durante o exercício económico do ano 2020, foi criado um total de 416 novos postos de trabalho (405 homens e 11 mulheres).
Dos postos de trabalho criados, indica a fonte, 248 resultaram da implementação do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM, ainda em curso.

Exportação em alta

Por outro lado, o relatório anual do Governo Provincial do Namibe, revela que as empresas da indústria pesada, dedicadas à exploração de rochas ornamentais e os operadores do sector pesqueiro na província do Namibe, emitiram, no ano de 2020, um total de 442 processos de exportação de produtos para diferentes países, avaliados em 21,7 milhões de dólares norte-americanos.
O licenciamento de operadores para exportação e importação de mercadoria diversa foi arrecadado mais 22,6 milhões de kwanzas.

As rochas ornamentais, o caranguejo e o polvo congelado foram os produtos mais exportados durante todo o ano passado.
Das solicitações para transacções comerciais, foram emitidas 52 Guias de Exportação, sendo 27 para mármore com 1.655,55 metros cúbicos (m³) e 21 para granito/quartzito com 3.007,23m³, o que totaliza 4.662,28m³ exportados, cuja contrapartida para o Estado, foi de mais de 43,8 milhões de kwanzas.O sector de Recursos Minerais, em termos tributários arrecadou mais de 78 milhões de kwanzas.


Pesca decresce

Quanto à indústria de transformação dos produtos derivados do mar, em 2020, registou-se na província uma produção total de 42.621 toneladas de pescado diverso, verificando-se assim um decréscimo de 3,5 por cento em comparação com o ano anterior.

No período em análise, verificou-se que 46,5 por cento da produção destinou-se ao consumo directo e 52 à congelação. Foram controladas 435 embarcações licenciadas, sendo 34 de cerco e 401 artesanais.
De acordo com o relatório anual, a produção de sal, no ano passado, foi de 1.318 toneladas, registando um decréscimo de 7,30 por cento comparativamente ao ano de 2019.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política