Cultura

Novo filme nacional nas salas de cinema

Mário Cohen

Jornalista

“E se as Mulheres Fossem Unidas?” é o título da terceira longa-metragem de Henrique Costa Jr, que tem a estreia marcada para o dia 30 de Abril, na sala vip do Belas Shopping, em Luanda.

15/04/2021  Última atualização 11H35
Produção é um retrato do quotidiano na perspectiva dos casais © Fotografia por: DR
Além de Luanda, disse o realizador, o filme vai ser apresentado, também, em simultâneo, nas províncias de Benguela, Huambo e Huíla, através da rede Cinemax. Com a duração de uma hora e meia, o filme tem a participação dos actores Maueza Monteiro (Célia), Imperador (Zito) e Efigénia Muquele (Kiesse).  

O filme, explica o realizador, traz à tona algumas problemáticas sociais, em especial em torno da infidelidade e da união entre as mulheres, assuntos bastante discutidos no quotidiano da sociedade angolana, em especial entre os luandenses. Com a produção, Henrique Narciso Jr espera que os angolanos sejam capazes de se identificar com a história, independentemente da perspectiva, em especial as pessoas que já contraíram matrimónio. "É um drama muito comum na actual realidade do país”. 

O realizador espera que o filme seja "uma verdadeira porta de entrada para os novos caminhos do cinema nacional, que carece ainda de muita aposta”. "E se as Mulheres Fossem Unidas?” é o terceiro filme de Henrique Costa Jr, que sucedem assim "Jidungo@.Com” (2016) e "A Professora” (2018). 
Historial  
Célia é uma mulher mal-humorada e bastante ciumenta, o esposo Zito é um empresário de renome, focado e empenhado nos negócios, o que o torna num marido ausente. Após uma jornada laboral intensa Zito chega à casa de madrugada, Célia sentindo o cheiro de um perfume pouco habitual na camisa de Zito, arma uma confusão e expulsa o marido de casa. A atitude desta faz com que Zito "caia nos braços” de outra mulher. Ela agora terá de juntar forças para ter o esposo de volta.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura