Mundo

Opositor Hama Amadou se entrega à Polícia após violência eleitoral no níger

O líder da oposição e candidato derrotado na segunda volta das presidenciais do Níger, Hama Amadou, entregou-se, ontem, às autoridades, noticiou a AFP.

27/02/2021  Última atualização 08H25
Hama Amadou, entregou-se, às autoridades © Fotografia por: DR
O político está a ser acusado da responsabilidade moral pela morte de duas pessoas na sequência dos protestos por ele convocado como forma de manifestação contra o resultado das eleições
de domingo, que considera "fraudulentas”. Segundo o Ministro do Interior, Alkache Alhada, esses protestos fizeram duas mortes e centenas

de detidos. "Das manifestações que ocorreram, registamos duas mortes. Houve também danos e a destruição de infra-estruturas públicas e privadas, acrescentou aquele responsável à AFP.
"Neste momento já estamos em 468 detenções, incluindo de alguns políticos”, disse. A violência explodiu depois da Comissão Eleitoral declarar o ex-ministro do Interior, Mohamed Bazoum, vencedor da segunda volta das presidenciais com 55,75 por cento dos votos.

   Exército burkinabe mata onze rebeldes em duas ofensivas

Os militares do Burkina Faso mataram 11 terroristas numa operação de dois dias no Norte do país, em resposta ao ataque da passada semana, no qual morreram nove civis, anunciou, ontem, o Estado-Maior do Exército, citado pela AFP.
A operação, que combinou acções terrestres e aéreas, teve lugar na floresta de Bango e nas localidades de Tasmakat, Fourkoussou e Bidy, entre quarta e quinta-feira. No ataque, as forças do Burkina Faso dizem ter morto 11 insurgentes e capturado um outro,
não registando qualquer baixa do lado  das Forças Armadas,  que confiscaram veículos, armas e munições. O Burkina Faso está desde Abril de 2015 a combater os terroristas afiliados à al-Qaeda, que sequestraram nessa altura um guarda de segurança na mina de Tambao, no Norte do país, continuando desaparecido até agora.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política