Opinião

Os profissionais da Saúde e a crise sanitária

Comemorou-se ontem, 26 de Janeiro, o Dia do Médico Angolano, numa altura em que o país enfrenta uma grave crise sanitária consubstanciada na existência da pandemia da Covid-19.

27/01/2021  Última atualização 08H13
Os médicos angolanos, ao lado de outros profissionais do sector da Saúde, têm sido uns verdadeiros heróis nesta luta contra uma pandemia que tem ceifado muitas vidas humanas. Vários médicos e outros profissionais da Saúde perderam a vida na luta para salvar angolanos infectados pelo coronavírus, mas, apesar dessas mortes, a classe médica não baixa os braços e continua a constituir um bom exemplo de dedicação à profissão, mesmo nas actuais circunstâncias, em que têm de correr inúmeros riscos.

Os angolanos têm acompanhado os esforços os nossos médicos nas diferentes unidades hospitalares, particularmente agora que eles têm de fazer face a uma pandemia mortífera e que pode infectar qualquer pessoa, independentemente da sua condição social.
Os sistemas nacionais de saúde de todos os Estados estão a ser pressionados, em virtude da pandemia da Covid-19, estando os médicos no centro do processo de resolução de problemas relacionados com a cura de muitos doentes infectados e que acorrem em grande número aos hospitais.

Há países em que os sistemas nacionais de saúde estão à beira do colapso, com médicos a enfrentar situações de difícil resolução.
Os médicos são hoje, com a pandemia de Covid-19, uma classe que deve ser acarinhada e a quem se deve dar todo o apoio necessário, para que eles possam continuar a salvar vidas humanas e proteger-se da doença.

Em Angola, o Estado tem feito a sua parte para dotar a classe médica das condições necessárias ao exercício da profissão.
 É verdade que há ainda muito por se fazer, com o agravamento da situação sanitária provocado pelo surgimento da pandemia da Covid-19, mas é importante que haja sempre vontade de se colocar nos hospitais as condições para os profissionais da Saúde acudirem as diferentes patologias.

Temos no país médicos sempre prontos para fazer face às adversidades que têm de enfrentar diariamente no exercício da profissão.
Em face dos graves problemas que os nossos médicos e outros profissionais da Saúde enfrentam, o Estado deve colocar-se ao lado de todos os que nos nossos hospitais salvaguardam vidas humanas. Num momento em que enfrentamos uma pandemia com a dimensão e gravidade da Covid-19, nada melhor do que se valorizar o trabalho dos nossos médicos, enfermeiros e de outros técnicos da Saúde.
Em tempo de crise sanitária, as entidades competentes ligadas à Saúde têm o dever de trabalhar intensamente em prol da eficiência da assistência médica às populações.

Depois de comemorarmos este ano o Dia do Médico Angolano, importa que haja novas atitudes em face do trabalho árduo dos profissionais da Saúde, que se encontram na primeira linha no combate a graves problemas sanitários.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política