Cultura

“Palavra do Poeta” com Mónica de Aquino

A apresentação do projecto “Palavra do Poeta”, na próxima sexta-feira, às 14h00, no Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA), na Baixa de Luanda, é dedicada à escritora brasileira Mónica de Aquino.

18/11/2020  Última atualização 07H50
Autora brasileira participa em actividade no CCBA © Fotografia por: DR
Mónica de Aquino nasceu no estado de Belo Horizonte em 1979. A escritora publicou "Sístole”, em 2005, pela editora Bem-Te-vi. O seu segundo livro de poemas, "Fundo falso”, (Relicário Edições, 2018), em versão reduzida, venceu o Prémio Cidade de Belo Horizonte de 2013. Publicou cinco livros infantis, todos pela editora Miguilim: "Fio da memória”, "Muitos jeitos de contar uma história”, "Gato Escaldado”, "Cabra Cega” e "Um coelho de cartola”.

"Palavra de Poeta” é um projecto de Kaio Carmona, professor e leitor brasileiro na Universidade Agostinho Neto.  É um canal de poesia que nasceu para valorizar e manter o gesto da leitura, o gosto pelo recitar e declamar em voz alta. A programação cultural do CCBA para esta semana reserva para amanhã, às 10h00, na narração de histórias por Maria Ângela que vai transportar as crianças  para o mundo das fábulas com a história "Galinha com dentes”,  numa adaptação de Lúcia Pimentel Góes.

 O livro "Galinha com dentes” apresenta um  melro chamado Jack, que mostra detalhadamente como  gosta do mar, e a sua amizade com Jim, a gaivota. Uma relação sem brigas, só com bons momentos. Como explicar uma amizade entre duas aves tão diferentes?
Ontem foi realizado um "live" do projecto "A leitura em contexto de pandemia”, por meio da experiências e actuações dos professores e leitores Naduska Mário, Gustavo Cerqueira e Kaio Carmona.

O encontro virtual discutiu as transformações da leitura diante do isolamento social e restrições impostas pela pandemia, bem como as estratégias utilizadas para o trabalho com a Língua Portuguesa e as Literaturas em Língua Portuguesa.
A exposição "Viagem Filosófica” -  Expedição virtual pela Amazónia do século 18, que retrata a jornada de conhecimento da Amazónia empreendida em 1783 pelo naturalista Alexandre Rodrigues Ferreira, continua disponível de forma virtual nas plataformas digitais do CCBA.

Inteiramente online, a exposição conduz o visitante por uma navegação pelas salas e galerias do CCBA, encontrando belas ilustrações e ambientações que retratam, com riqueza de detalhes, fauna, flora, paisagens, vilarejos e a cultura dos povos da região.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política