Economia

Petróleo sobe com dólar mais fraco

Os preços do petróleo tiveram ligeira subida, nesta quinta-feira (8), com a queda do dólar e a alta nos mercados de acções a compensar as baixas anteriores

08/04/2021  Última atualização 22H55
Petróleo de referência para Angola fechou nos 63,33 dólares © Fotografia por: DR

Os futuros do Brent (petróleo de referência para Angola) fecharam nos 63,33, o barril, enquanto o US West Texas Intermediate (WTI) caiu 27 centavos, para 59,50 dólares.

Os preços foram influenciados pelo grande aumento nas reservas de gasolina dos EUA e pela procura moderada, em comparação com os níveis antes da pandemia da Covid-19. "Os preços do petróleo estão a lutar para se orientar, já que as pressões de curto prazo da Covid-19 são contrabalançadas por um dólar muito mais fraco”, disse Edward Moya, analista sénior de mercado da OANDA, em Nova Iorque.

O dólar americano caiu para baixa de duas semanas, acompanhando a queda dos rendimentos do Tesouro, depois que os dados mostraram um aumento surpreendente nos pedidos semanais de seguro-desemprego nos EUA.

Um dólar mais fraco torna o petróleo mais barato para os detentores de outras moedas, o que geralmente ajuda a impulsionar os preços do petróleo.

As reservas de gasolina dos EUA aumentaram acentuadamente em quatro milhões de barris, para pouco mais de 230 milhões de barris, à medida que as refinarias aumentaram a produção antes da temporada de verão, disse o Departamento de Energia dos EUA, na quarta-feira.

A Rússia disse que as consequências da pandemia da Covid-19 sobre o consumo global de petróleo podem durar até 2023-2024. Embora a procura por petróleo continue enfraquecida pelo impacto do novo coronavírus, a produção parece destinada a aumentar.

Na semana passada, a Organização dos Países Produtores (OPEP) e seus aliados, incluindo a Rússia, grupo conhecido como OPEP +, concordaram em trazer de volta cerca de dois milhões de barris por dia de produção nos próximos três meses.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política