Sociedade

População de Cabinda relaxa no cumprimento das medidas

Muita gente deixou de cumprir as medidas de biossegurança em Cabinda, região com 861 pessoas infectadas.

03/03/2021  Última atualização 09H45
Rúben de Fátima Buco, admitiu que existe, por parte da população, um certo relaxamento © Fotografia por: DR
Na via pública ou em locais de muita afluência, como bancos, mercados, aeroporto, pátios escolares e táxis, vêem-se pessoas sem o uso de máscara facial ou usada incorrectamente e sem a observância do distanciamento físico.  
Em muitas instituições públicas e privadas, os recipientes com água para a lavagem das mãos e higienização com álcool em gel deixaram, igualmente, de existir.

O secretário provincial da Saúde, Rúben de Fátima Buco, admitiu que existe  por parte da população um certo relaxamento, salientando que a Comissão Provincial Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19 vai intensificar, nos próximos dias, a sensibilização.
"Muitas pessoas pensam que a pandemia não existe, mas ela existe. O grau de infecção, sobretudo da nova variante, é grande”, alertou   Rúben de Fátima Buco,  que apelou à população para o cumprimento das medidas de biossegurança.
 
"Não é fácil trabalhar com a consciência humana”, sublinhou, acrescentando que o relaxamento que se observa em Cabinda no cumprimento das medidas de biossegurança deve-se, em parte, ao desagravamento de algumas medidas no âmbito do Estado de Calamidade Pública, "o que confunde algumas pessoas”.

Rúben de Fátima Buco, que também é o coordenador da Comissão Provincial de Combate à Pandemia, afirmou que, apesar do aumento das acções de sensibilização nos próximos dias à população, face ao cumprimento das medidas de biossegurança, é importante que cada indivíduo assuma a responsabilidade pela própria saúde, para que com esforços conjugados "tenhamos uma sociedade sã e isenta de patologias, sobretudo as infecciosas derivadas da Covid-19”.

Bernardo Capita e Pedro Suculate | Cabinda

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política