Coronavírus

População do Soyo exortada a aderir à vacinação em massa

Victor Mayala | Soyo

Jornalista

O director municipal da Saúde no Soyo, província do Zaire, apelou aos habitantes locais a aderir, em massa, à campanha de vacinação contra a Covid-19, que arranca hoje, com seis mil doses do imunizante da AstraZeneca disponíveis.

16/05/2021  Última atualização 07H10
Exortada a aderir à vacinação em massa © Fotografia por: DR
Falando em entrevista ao Jornal de Angola, Pedro Lussukamu garantiu que a vacina AstraZeneca é segura, pelo que as pessoas não devem ter o receio de tomá-la.

"A vacina é segura e aconselhamos as pessoas a aderirem em massa à campanha. A vacina é mais um elemento de prevenção; isto significa que ela não veio substituir o uso da máscara, lavagem das mãos com água e sabão ou a desinfecção com álcool em gel. As pessoas devem, sim, continuar a cumprir estas medidas de biossegurança estabelecidas, para evitar o contágio”, referiu.

Pedro Lussukamu avançou que, à semelhança do que acontece noutras regiões do país, nesta fase inicial do processo, a prioridade recai para os profissionais de Saúde, efectivos dos órgãos de Defesa e Segurança, indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos e professores do subsistema de ensino Primário.

O responsável fez saber, ainda, que foi formado um total de 50 elementos, entre técnicos de saúde e registadores, que vão dar suporte à campanha, por um período indeterminado. Pedro Lussukamu espera que as seis mil doses disponíveis esgotem num curto espaço de tempo, para assegurar o corte da cadeia de transmissão do vírus no município do Soyo, ainda considerado como o epicentro da pandemia a nível da província do Zaire.

A nossa reportagem constatou que o cenário montado no anfiteatro do Instituto Superior do Soyo compreende áreas como "pré-registo”, "triagem”, "vacinação”, "registo” e "observação. Nesta última estão presentes técnicos do Instituto Nacional de Emergências Médicas de Angola (INEMA), para acautelar eventuais casos de pessoas que possam ter efeitos adversos do imunizante, o que raramente acontece, desde o início do processo de vacinação em Angola, segundo um especialista da Direcção Nacional de Saúde destacado no local.

No âmbito dos esforços desenvolvidos pelo Executivo angolano para a prevenção e combate à Covid-19, o município do Soyo conta, desde o mês passado, com um hospital de campanha, com 40 leitos, uma doação dos Estados Unidos da América, à luz das relações existentes entre os dois países.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Coronavírus