Mundo

Putin acusa o ocidente de querer "acorrentar" a Rússia

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, apelou hoje aos serviços de segurança russos (FSB) que enfrentem a política ocidental de “contenção” que procura “acorrentar” o país com múltiplas sanções.

24/02/2021  Última atualização 18H21
Presidente da Rússia, Vladimir Putin © Fotografia por: DR
As relações entre a Rússia e o Ocidente continuam a deteriorar-se nos últimos anos e estão no nível mais baixo desde o fim da Guerra Fria, após o envenenamento seguido da detenção do opositor russo Alexei Navalny, que levaram a novas tensões e sanções.

"Estamos a enfrentar uma chamada política de contenção da Rússia”, afirmou Putin, usando o termo associado à política externa norte-americana que visava lutar contra a influência soviética.

"Não se trata apenas de uma questão de concorrência normal nas relações internacionais, mas de uma linha coerente e agressiva destinada a interromper o nosso desenvolvimento, a desacelerá-lo”, prosseguiu, antes do congresso anual do FSB, organização que sucedeu ao KGB e que Putin que já dirigiu.

Segundo o Presidente russo, o Ocidente está a tentar "acorrentar (a Rússia) com sanções económicas”, minando a sua estabilidade e valores para "enfraquecer” o país e "controlá-lo desde o exterior”.

Estas declarações chegam num momento em que o Ocidente e a Rússia estão novamente em desacordo sobre o caso de Navalny.

Na segunda-feira, a União Europeia anunciou a sanção de quatro altos funcionários russos envolvidos no processo judicial contra Navalny e na repressão aos seus apoiantes.

Vários países europeus também exigiram o fim da construção do gasoduto Nord Stream 2, que vai ligar a Rússia à Alemanha, e suscita a oposição dos Estados Unidos, mas os alemães mantêm a intenção de o concretizar.

Além do caso Navalny, a Rússia e o Ocidente entraram em confronto por muitas questões nos últimos anos, especialmente nos conflitos na Síria, Ucrânia e Líbia, acusando-se mutuamente de ingerência em assuntos internos.

Ainda hoje, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, também acusou "certos países ocidentais” de optarem por "uma abordagem coerciva” e de usarem "métodos ilegais de intimidação” contra a Rússia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política