Reportagem

Realidades de uma cidade em crescimento

Sampaio Júnior | Benguela

Jornalista

A cidade de Benguela assinala hoje, 17 de Maio, 404 anos de existência. Reza a História que neste dia, em 1617, Manuel Cerveira Pereira, então Governador de Angola entre 1615 e 1617, fundou a Baía de Santo António, passando a data a ser considerada como o Dia da Fundação da cidade de São Filipe de Benguela.

17/05/2021  Última atualização 07H45
O governador Luís Nunes deixou o Gabinete para inteirar-se dos problemas e articular políticas públicas com vista à recuperação das infra-estruturas © Fotografia por: Edições Novembro
Cerveira Pereira partiu de Luanda a 11 de Abril de 1617, à frente de uma força de 130 homens e rumou para Sul, ao longo da costa, até à Baía das Vacas, que alcançou a 17 de Maio. Neste local, fundou o Forte de São Filipe de Benguela, núcleo da povoação com o mesmo nome, que havia de ser a capital do novo domínio português no Sul de Angola, a Capitania de Benguela, administrada autonomamente entre 1617 e 1869.
Entre 1641 e 1648, a povoação foi ocupada por forças da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais.

Governação aberta

Hoje, o governo de Benguela aposta numa governação aberta com o propósito de satisfazer os an-seios dos munícipes, proporcionando uma melhor qualidade de vida.
Luís Nunes deixa o seu Gabinete para inteirar-se dos problemas e articular políticas públicas com vista à recuperação das infra-estruturas na cidade de Benguela como o caso da emblemática Praia Morena, que está a beneficiar de obras de requalificação.


O mesmo processo decorre na Casa da Juventude, Instituto de Educação Física, cemitérios, jardins, escolas e hospitais. São empreitadas que vão trazer melhorias na imagem da cidade.O governador apontou como principais desafios das suas políticas públicas melhorar as áreas que influenciam na deslocação de pessoas e mercadorias e auxiliam no processo produtivo do local, resultando em crescimento económico. Entre estas áreas está o Transporte, que inclui investimento em mobilidade urbana e construção de estradas, fundamental para o desenvolvimento da economia.


Luís Nunes aponta ainda o saneamento básico e fornecimento de água tratada. Além do estado avançado de degradação dos equipamentos, a manutenção é feita com alguma irregularidade. Por isso, necessita de novos investimentos para a colecta e tratamento do esgoto doméstico e industrial, além da limpeza das vias públicas. Esses serviços são essenciais para o bem-estar da população.Na energia eléctrica, tem sido regular o fornecimento para serviços e privadas e as residências.


Nas Telecomunicações, a troca de informações entre pessoas e empresas de diversos locais é essencial para a realização de negócios. Isso pode ser feito por meio de celulares, telefone fixo, rádio, Internet, etc.

O governador considera a resolução dos imprescindível  principais problemas que afligem a comunidade benguelense e apela ao contributo de toda a sociedade civil, para o desenvolvimento do município de Benguela. "Vamos tudo fazer  para que os problemas da população sejam resolvidos”, salientou o Governador que garantiu reunir mais vezes com a sociedade civil.Satisfeitos com a abertura do governador provincial, os membros do Conselho de Auscultação manifestaram-se dispostos em colaborar em todas as acções que visam contribuir para o crescimento da província.
Munícipes querem melhorias  
Iva da Costa assinala que Benguela comemora mais um aniversário com grande parte das suas infra-estruturas a apresentar um elevado estado de degradação, quer nos serviços de saneamento, estradas energia e telecomunicações, que são unidades fundamentais para o bom desenvolvimento das actividades sócio-económicas e de bem-estar para os benguelenses.
"Tenho 19 anos e, ao longo deste período, fui observando uma cidade sem a qualidade de vida desejada pelos seus habitantes. Destacam-se a falta de centros de Saúde para desafogar os hospitais de referência, na Educação ainda temos crianças a estudarem sem o mínimo de condições, pontos turísticos ainda não estão a ser explorados”, sublinha.
Para a jovem, é imperioso pensar num Plano Estratégico de Desenvolvimento da cidade de Benguela, onde devem ser chamados todos aqueles com interesse de levar avante a execução de tarefas para responder às preocupações relacionadas com o crescimento económico, combate ao desemprego, reorganização das principais áreas da periferia e da cidade, construções desordenadas, ruas sem saída, valas de água poluídas e lixo nas ruas.
A cidade do matrindindi
Maio  dos  matrindinde. Os belos e pacíficos insectos não têm sido poupados do seu habitat, tal a fúria do bicho homem que, com alguma agressividade, evadiu a picareta e, com o betão armado, afectou a construção de imóveis e eliminou o habitat dos pequenos insectos articulados e multicolores. A reflexão é de Iva da Costa, uma jovem estudante do curso de enfermagem.
A marca matrindinde está registada nos anais do campo multiusos construído na cidade de Benguela, em músicas e poemas, o que é muito importante para perpetuar o insecto que muito se liga ao benguelense.

Benguela situa-se a Oeste de Angola, sendo a capital e principal município da província com o mesmo nome. Com uma área territorial de 2.100 quilómetros quadrados, Benguela tem uma composição orográfica  onde predominam os  planaltos escalonados, que são, em maioria, cortados por vales e rios. 

Os vales e rios secos da região acumulam águas no período das chuvas, assim como as colinas monolíticas situadas a Norte do município e encontradas na maior parte do território da província. O território de Benguela também possui diversos cursos de água, que são influenciados pelas quatro bacias hidrográficas encontradas na província: do Cubal, Hanha, Catumbela e do Coporolo. Há, ainda, formações de estepe encontradas na vegetação do município, assim como formações de florestas abertas e savanas arborizadas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Reportagem