Especial

Retrospectiva/2020: Maior operadora angolana mudou de mãos

A Unitel S.A passou, em 2020, do controlo de Isabel dos Santos, para a esfera do Governo, como resultado de um contencioso entre as partes. Depois de duas assembleias extraordinárias em meados do ano, sem efectivos resultados divulgados, a empresária Isabel dos Santos anunciou, mais tarde, a saída da administração da operadora, 10 anos depois.

31/12/2020  Última atualização 18H36
© Fotografia por: DR
Contudo, no seguimento de processos litigiosos, mais recentemente, foi anunciada a perda do direito de voto, de participação nas assembleias de accionistas e de receber dividendos na Unitel SA, decisão do Tribunal Supremo das Ilhas Virgens Britânicas.

Entre os processos que alimentam esta medida, o facto de a empresária ter lesado a Unitel em 654,2 milhões de dólares, além de ter autorizado vários empréstimos a si mesma para que pudesse edificar o império.

Dados do processo de litígios certificam que a Unitel, na gestão de Isabel dos Santos, fora condenada pela Câmara de Comércio Internacional (CCI) a pagar indemnizações de 339,4 e 314,8 milhões de dólares, que somados totalizam os 654,2 milhões, montante devido aos brasileiros.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, correm contra Isabel dos Santos vários processos de natureza cível e criminal, em que o Estado angolano reivindica valores superiores a cinco mil milhões de dólares.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política