Cultura

Secretária de Estado avalia execução do Plano de Gestão

Kayila Silvina | Mbanza Kongo

Jornalista

A secretária de Estado da Cultura, Maria Piedade de Jesus, termina hoje uma visita de trabalho de três dias, à cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, para analisar com as autoridades locais, o Plano de Gestão do Centro Histórico do antigo Reino do Kongo (2016/2020) para a sua actualização, tendo em conta o contexto.

10/06/2021  Última atualização 05H00
Museu dos Reis do Kongo é um dos lugares a ser visitado hoje pela secretária de Estado da Cultura, que regressa amanhã a Luanda © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo
"Viemos à cidade de Mbanza Kongo, para analisar o que foi feito no quadro do Plano de Gestão do Centro Histórico 2016/2020 e preparar um novo que será entregue à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para 2022 a 2026”, frisou.

Maria de Jesus avançou que o novo plano de gestão da cidade de Mbanza Kongo 2022/2026, contempla um programa de trabalhos de requalificação e melhoria dos monumentos e sítios históricos, com destaque para o Museu dos Reis do Kongo e o seu espólio, o Kulumbimbi e as 12 fontes de água. "Durante três dias iremos trabalhar com as autoridades locais e em conjunto vamos, para além de trabalhar no plano de gestão, analisar a situação das ravinas da cidade, uma vez que fazem parte do relatório que foi enviado em Dezembro de 2020 à UNESCO”, avançou.

Quanto às recomendações da UNESCO, a secretária de Estado da Cultura disse que já foram cumpridas algumas, nomeadamente as remoções das antenas da Angola Telecom e da Rádio Nacional de Angola (RNA), restando apenas a retirada do aeroporto da cidade de Mbanza Kongo, para a comuna do Nkiende.

Maria de Jesus disse que quanto à construção do novo aeroporto de Mbanza Kongo já foram feitos os trabalhos de levantamento, a desminagem e o concurso público para a execução da obra, mas sublinhou ser preciso saber que cada programa tem os seus responsáveis.
"As obras da construção de um aeroporto dependem do Ministério dos Transportes, mas com a situação actual da pandemia da Covid-19 não foi possível conseguir cumprir com essa recomendação”, disse.

No concernente à realização da II edição do FestiKongo 2021, Maria de Jesus avançou que depende do programa a ser traçado pelo Governo Provincial do Zaire, no qual possam participar os países vizinhos, dentro das regras previamente definidas, em função do surgimento da pandemia da Covid-19.
Ontem, a secretária de Estado da Cultura manteve um encontro com o comité de gestão participativa de Mbanza Kongo e visitou os lugares de memória em Mbanza Kongo, nomeadamente o Kulumbimbi, Cemitério dos Reis, Fonte Santa e Tady dya Bukikwa. Para hoje, o programa prevê um encontro de cortesia com as autoridades tradicionais  e visitas ao Museu, Clube, Biblioteca Municipal e Fortim.


  Dívida aos empresários locais   
    

A secretária do Estado da Cultura garantiu, em Mbanza Kongo, que a dívida contraída aos empresários locais, aquando da realização do FestiKongo em 2018, vai ser paga pelo Governo Provincial.

Maria de Jesus, que falava à imprensa, no final de um encontro de cortesia com o governador provincial do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, disse que a referida dívida vai ser liquidada, através do Orçamento Geral do Estado. "O Governo Provincial está a trabalhar com o Ministério das Finanças para activar os pagamentos da referida dívida”, garantiu a governante.

A Comissão de Património Mundial da UNESCO declarou, a 8 de Julho de 2017, por unanimidade, em Cracóvia, Polónia, o Centro Histórico da cidade de Mbanza Congo, como Património Mundial da Humanidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura