Sociedade

Trabalhadores vão ter salários 20 anos depois

Os 435 antigos trabalhadores da África Têxtil poderão nos próximos dias receber os salários não pagos nos últimos 20 anos, estando desde o passado dia 22 até sexta-feira, a realização do processo de prova de vida, levado a cabo pela Comissão Sindical da empresa, apurou o Jornal de Angola.

25/02/2021  Última atualização 18H00
Antigos trabalhadores da África Têxtil estão a ser cadastrados © Fotografia por: Kindala Manuel| Edições Novembro
Fonte da Comissão Sindical revelou que além dessa entidade, o Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE), a partir de Luanda deverá, até o dia 30 de Março deste ano, organizar outros processos relativos ao pagamento de salários dos antigos trabalhadores da África Têxtil do período entre 2000 e 2020.

"É uma batalha que os antigos trabalhadores da única fábrica têxtil na zona Centro e Sul de Angola têm vindo a travar,  depois de duas vigílias, sendo uma a 10 de Dezembro de 2020 e outra a 10 de Fevereiro 2021. Por isso mesmo, esperam também, serem indemnizados devido os atrasos de salários e garantias de reformas”, disse Alfredo Cabral.

De acordo com Rogério Alfredo Cabral, primeiro secretário da Comissão Sindical dos antigos funcionários da África Têxtil, com essa medida "entendemos que serão ultrapassadas as nossas reivindicações”, que na medida acredita haver para o efeito.
"Ultrapassando a dívida que o empregador ou o Estado tem para com a Segurança Social, pensamos que as pensões de reformas serão também solucionadas”, mostrou-se confiante o sindicalista que afirmou ter havido já negociação, no dia 10, entre a IGAPE e INSS.

Rogério Cabral manifestou disponibilidade dos seus colegas voltarem ao labor , caso o gestor pretenda mão-de-obra antiga. "Estaremos disponíveis para voltarmos ao trabalho”, disse para quem espera que se dê oportunidade do primeiro emprego, a um filho de cada trabalhador, como gesto de reconhecimento dos longos anos de serviços prestados.

Hermínio Fontes | Benguela

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política