Política

UNITA destaca verticalidade de Victorino Nhani

O Grupo Parlamentar da UNITA manifestou, ontem, consternação pela morte do deputado Victorino Nhani, ocorrida sábado, em Luanda, por doença.

22/02/2021  Última atualização 09H12
Victorino Nhani morreu no sábado aos 62 anos de idade © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro
"Victorino Nhani foi um quadro com uma verticalidade intelectual e firmeza nos princípios que enchia os olhos de qualquer um”, refere a UNITA em nota de condolências, salientando que o malogrado também foi "amante  e combatente da causa dos oprimidos, que colocou a sua pedra na edificação do Estado Democrático e de Direito, tendo exercido com brio a sua missão enquanto representante do povo na Casa das Leis, onde exerceu funções de vice-presidente da quarta Comissão de Trabalho Especializado da Administração e Poder Local”.

Deputado pelo Grupo Parlamentar da UNITA desde 2012, o malogrado, segundo ainda a nota, foi uma "autêntica enciclopédia da Agronomia”, acrescentando que a sua entrega e dedicação à causa da Nação notabilizaram-no em várias etapas da luta, tendo sido promovido a brigadeiro pelo líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi, e nomeado coordenador político-administrativo da região Centro-Sul em 2001.

A nota da UNITA acrescenta que o malogrado também foi um dos precursores da luta contra a intolerância política, enquanto secretário provincial do partido em Benguela, para em seguida ser eleito secretário-geral da maior organização política da oposição.”O deputado Victorino Nhani era amante da paz, da justiça social, da democracia e da verdadeira reconciliação nacional, defensor acérrimo dos ideais de Muangai. A sua morte retira do nosso seio um valioso e distinto servidor de Angola”, lê-se no documento.

O Grupo Parlamentar da UNITA, em nome dos deputados, assessores e funcionários, endereça à família enlutada sentidos pêsames.
Casado e engenheiro agrónomo de formação, Vitorino Nhany nasceu a 22 de Setembro de 1958, na aldeia de Kunjuka, município do Londuimbali, no Huambo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política