Política

UNITA lamenta morte de Adérito Kandambo

O Grupo Parlamentar da UNITA manifestou, ontem, “profunda dor e consternação” pela morte de Adérito Jaime Kandambo, secretário provincial do partido no Bié e deputado à Assembleia Nacional, vítima de doença.

19/01/2021  Última atualização 07H51
Adérito Kandambo era também secretário provincial no Bié © Fotografia por: Cedida
"Foi um quadro exemplar que exerceu com brio a sua missão enquanto representante do povo na Casa das Leis, defendendo os interesses dos cidadãos”, lê-se numa nota de condolências.

A direcção da UNITA, em comunicado, informa que, por se tratar de um deputado à Assembleia Nacional, a agenda das exéquias será comunicada depois dos devidos e necessários acertos com a administração da Assembleia Nacional e a família.
Adérito Jaime Kandambo morreu, ontem, no Hospital Geral Walter Strangway, na cidade do Cuito, província do Bié. O malogrado, de 59 anos, deu entrada no Banco de Urgência por volta das 5h00 e, uma hora depois, acabou por falecer. A malária e a febre tifóide são apontadas  como as prováveis causas da morte.

Entretanto, o director do Gabinete Provincial da Saúde, João Campos, esclareceu que as causas da morte são ainda desconhecidas.
Para evitar especulações, acrescentou que a morte do deputado em nada tem a ver com a Covid-19. "Há uma semana, antes de viajar para Luanda, ele fez o teste e o resultado foi negativo para a Covid-19. De acordo com o seu historial médico, nos últimos dias apresentava algumas queixas”, explicou.

João Campos referiu que ainda falta fazer a autópsia para determinar as reais causas da morte do deputado da UNITA.
Adérito Jaime Kandambo era militante da UNITA desde 1976. Exercia o cargo de secretário do partido no Bié desde 2012 e, em 2017, foi eleito deputado à Assembleia Nacional pelo círculo provincial.

Natural do Cuito, Adérito Jaime Kandambo era licenciado em Ciências da Educação, na especialidade de Pedagogia, e exerceu, entre outros cargos na UNITA, o de secretário nacional dos Desportos da União Revolucionária dos Estudantes de Angola, inspector-geral da JURA e responsável da região eleitoral centro.
Numa nota de imprensa, a UNITA lamenta "a morte inesperada” do seu secretário provincial. A direcção da UNITA escreve ainda que a morte do seu membro deixa empobrecido o partido naquela província.

Matias da Costa e João Constantino | Cuito

João Constantino | Cuito

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política